AMBIENTE, CUIDADOS E DESCUIDADOS: DESENVOLVENDO AÇÕES DE EDUCAÇÃO RELACIONADAS À SAÚDE DO HOMEM

Raphael Cascaes Pereira, Juliana Cristina Lessmann Reckziegel, Lenita Agostinetto

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo identificar as interações entre ambiente, cuidados e descuidados relacionados à saúde do homem e propor estratégias de educação em saúde enfocando as diretrizes da Política de Nacional Atenção Integral à Saúde do Homem. Trata-se de estudo qualitativo utilizando-se da Pesquisa Convergente-Assistencial como referencial metodológico. Realizada em uma cidade de médio porte da região do Planalto do Estado de Santa Catarina, respeitando todos os critérios éticos da Resolução 466/12. Desenvolvido com 20 indivíduos do sexo masculino, com idade entre 20 e 59 anos por meio de entrevistas individuais em domicílio e, na sequencia, ações de educação em saúde em grupo, ambos com áudio gravado. A análise ocorreu conforme os preceitos da Pesquisa Convergente Assistencial. Observou-se que as doenças do coração foram as mais citadas, porém com baixa adesão ao tratamento comportamental. As condutas relacionadas à saúde do homem ainda são influenciadas por aspectos ambientais, socioculturais e de gênero, que modulam negativamente as ações de cuidado de si e o acesso aos serviços de saúde. Modificação das rotinas assistências e a realização de ações de educação em saúde são necessárias para o despertar da consciência acerca da necessidade do cuidado, constituindo potencial para a modificação do panorama de saúde-doença desta população.


Palavras-chave


Saúde do homem; Homens; Política de Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANO, B. R.; BASÍLIO, M. C.; NEVES, J. B. Desafios para a inclusão dos homens nos serviços de atenção primária à saúde. Revista Enfermagem Integrada, v.3, n.2, p. 554-563, 2010.

ALVES, R..; SILVA, R.P.; ERNESTO, M.V.; LIMA, A.G.B; SOUZA, F.M. Gênero e saúde: o cuidar do homem em debate. Psicologia: teoria e prática, v. 13, n. 3, p.152-166, 2011.

BARRETO, M.S; MARCON, S.S. Saúde do homem: desafios atuais para a enfermagem brasileira. In: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM; BRESCIANI, H.R; MARTINI, J.G.; MAI, L.D. (org). PROENF Programa de atualização em enfermagem: saúde do adulto: Ciclo 12. Porto Alegre: Artmed Panamericana; 2017. p. 59-94. (Sistema de Educação Continuada à Distância, v.1)

BARROS, M.E.B; GOMES, R. S. Humanização do cuidado em saúde: de tecnicismos a uma ética do cuidado. Revista de Psicologia, v. 23, n. 3, p. 641-658, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: Princípios e Diretrizes, Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (princípios e diretrizes). 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2015.

BRASIL. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde/NOB-SUS 96. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

BURILLE, A.; SCHWARTZ, E.; ZILLMER, J. G. V. Mudanças no cotidiano de homens com câncer: apresentando uma das interfaces do adoecer. Revista Pesquisa: Cuidado é Fundamental, v. 5, n. 2, p. 3.539-3.548, 2013.

COURTENAY, W. H. Construções da masculinidade e da influência no bem-estar dos homens: a teoria do gênero e saúde. Sociedade Ciência Medica, v. 50, n. 6, p. 1385-1401, 2007.

FERRAZ, D.; KRAICZYK, J. Gênero e Políticas Públicas de Saúde – construindo respostas para o enfrentamento das desigualdades no âmbito do SUS, Revista de Psicologia da UNESP, v. 9, n. 1, p. 70-82, 2010.

FIGUEIREDO, W. Assistência a saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciência e Saúde coletiva, v. 10, p. 105-109, 2005.

GOMES, R.; NASCIMENTO, E. F.; ARAÚJO, F. C. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Caderno Saúde Pública, v. 23, n. 3, p. 185-196, 2007.

GUIMARÃES, Mauro. A dimensão ambiental na educação. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 2001.

INCA - Instituto Nacional do Câncer. Câncer de Próstata. 2009. Disponível em: http:// www.inca.gov.br>. Acesso em: 06 mai. 2017.

JULIÃO, G. G.; WEIGELT, L. D. Atenção à saúde do homem em unidades de Estratégia de Saúde da Família. Revista de Enfermagem, v. 1, n. 2, p. 144-152, maio/ago. 2011.

LAURENTI, R.; MELLO-JORGE M. H. P.; GOTLIEB, S. L. D. Perfil epidemiológico da morbi-mortalidade masculina. Ciência Saúde Coletiva, v. 10, n.2, p. 35-46, 2005.

LUCK, M.; BAMFORD, M.; WILLIAMSON. Men's health: perspectives, diversity and paradox. London: Blackwell Sciences; 2000.

MESQUITA, Maria G. F.; MOREIRA, Marléa Chagas; MALISKI, Sally. “But I’m (became) different”: cancer generates reriorizations in masculine identity. Cancer Nursing, v. 34, n. 2, p. 150-157, 2011.

MODENA, C. M. Câncer e masculinidades: sentidos atribuídos ao adoecimento e ao tratamento oncológico. Temas em Psicologia, v. 22, n. 1. p. 67-78, 2014.

NARDI, A.; GLINA. S.; FAVORITO. L. A. Primeiro estudo epidemiológico sobre câncer de pênis no Brasil. International Braz J. Urol, v. 33, n.1, p. 1-7, 2007.

SCHRAIBER L.B., GOMES, R.; COUTO M.T. Homens na pauta da saúde coletiva. Ciência e Saúde Coletiva, v. 10, n.1, p. 7-17, 2005.

TRENTINI, M.; PAIM, L.; GUEREIRO. Pesquisa convergente-assistencial: um desenho que une o fazer e o pensar na pratica assistencial em Saúde-Enfermagem. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2014.

VIEIRA, C.G.; ARAÚJO, W.S.; VARGAS, D.R.M. O homem e o câncer de próstata: prováveis reações diante de um possível diagnóstico. Revista Científica do ITPAC, v.5, n.1, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.33362/ries.v8i1.1478

Direitos autorais 2019 Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2238-832X

-------------------------------------------------------------

Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP)
Rua Victor Baptista Adami, 800 - Centro
CEP: 89500-000 - Cx. Postal 232 - Fone: (49) 3561-6200
E-mail: uniarp@uniarp.edu.br

Copyright © 2010 UNIARP. Todos os direitos reservados.