A INFLUÊNCIA DO EXCESSO DE PESO NA FORÇA MUSCULAR E NA FUNCIONALIDADE MULHERES JOVENS

Pâmela Abreu Vargas Barbosa, Amanda Marques Faria, Daniella Alves Vento, Flávio Monteiro Ayres, Cibelle Kayenne Martins Roberto Formiga, Tânia Hamu

Resumo


O objetivo foi verificar a influência do excesso de peso na força muscular e na funcionalidade de tronco de mulheres jovens. Estudo analítico transversal, com 54 mulheres de 18 a 30 anos, com excesso de peso (n=25), e eutróficas (n=29). A força muscular de tronco foi avaliada pelo dinamômetro isocinético e a funcionalidade de tronco e membros inferiores através do Bunkie Test. A análise dos dados foi realizada por meio do programa SPSS (Sciences Statistical Package for the Social Sciences). Como resultado, o presente estudo identificou que as mulheres com excesso de peso conseguem gerar pico de torque absoluto na 1º série (p=0,023), na 2º série (p=0,009), e no impulso na 2º série (p=0,009) maiores que as mulheres eutróficas. No entanto, quando o pico de torque foi analisado proporcionalmente ao peso corporal, estes valores foram menores, não sendo encontrada diferença entre os grupos (p>0,05). Para o Bunkie Test, o grupo com excesso de peso apresentou pior desempenho na funcionalidade, principalmente nos movimentos de extensão, em decúbito dorsal, dos membros inferiores direito (p=0,011), esquerdo (p= 0,004) e na manutenção do tronco em decúbito lateral direito (p=0,008). Conclui-se que o excesso de peso pode alterar diretamente a força muscular e interferir na funcionalidade de tronco de mulheres jovens, sugerindo um desequilíbrio muscular em tronco e membros inferiores.

Palavras-chave: Força Muscular. Obesidade. Funcionalidade.

 

THE INFLUENCE OF OVERWEIGHT ON MUSCLE STRENGTH AND FUNCTION IN YOUNG WOMEN

ABSTRACT: The aim of this study was to verify the influence of overweight on muscle strength and functionality in young women. This is a cross-sectional analytical study that was conducted with 54 women aged 18 and 30 years – twenty-five (25) were overweight and twenty-nine (29) were eutrophic. Muscle strength was assessed by an isokinetic dynamometer, whereas functionality was assessed by the Bunkie Test. Data analysis was performed using the SPSS program (Sciences Statistical Package for the Social Sciences). As a result, the present study identified that overweight women can generate absolute peak torque in the 1st grade (p = 0.023), in the 2nd grade (p = 0.009), and in the 2nd highest grade (p = 0.009) than eutrophic women. However, when the peak torque was analyzed proportionally to the body weight, these values were lower, and no difference was found between the groups (p> 0.05). For the Bunkie Test, the overweight group presented worse performance in the functionality, especially in the extension movements, in the dorsal decubitus position, of the right lower limbs (p = 0.011), left (p = 0.004) and in the maintenance of the decubitus trunk right side (p = 0.008). It is concluded that overweight can directly affect muscle strength and interfere with the trunk function of young women, suggesting a muscle imbalance in the trunk and lower limbs.

Keywords: Muscle Strength. Obesity. Functioning.


Palavras-chave


Força Muscular; Obesidade; Funcionalidade

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Empresas de Pesquisas. Critério Brasil 2015 e atualização da distribuição de classes para 2016. São Paulo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 outubro 2017.

BATTISTI, Larissa. et al. Percepção da qualidade de vida e funcionalidade em obesos candidatos a cirurgia bariátrica: um estudo transversa. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, Ponta Grossa, v. 9, n. 2, p. 125-140, jan. 2017.

BRUMITT, Jason. Successful rehabilitation of a recreational endurance runner: initial validation for the Bunkie test. Journal of Bodyworkand Movement Therapies, Hillsboro, v. 15, n. 3, p. 384–390, maio. 2011.

BRUMITT, Jason. The Bunkie Test: Descriptive Data for a Novel Test of Core Muscular Endurance. Rehabilitation Research and Practice, Newberg, v. 123, n. 414, p. 9, jan. 2015.

CASTRO, Jéssica Marliere de. et al. Prevalência de sobrepeso e obesidade e os fatores de risco associados em adolescentes. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 12, n. 69, p. 84-93, jan./fev. 2018.

CAVUOTO, Lora A; NUSSBAUM, Maury A. Obesity-related differences in muscular capacity during sustained isometric exertions. Applied Ergonomics, Blacksburg, v. 44, p. 254-260, mar. 2013.

CELES, Rodrigues. et al. Fadiga muscular entre séries de exercícios isocinéticos em mulheres jovens. Motriz, Rio Claro, v. 19, n. 2, p. 494-501, abr./jun., 2013.

CEZAR, Juliê Rebellatto; CEZAR Marcos Antônio. Relação entre níveis de flexibilidade e composição corporal de jovens praticantes de futebol. Unoesc & Ciência, p. 121-128, 2014.

CORBETTA, Angélica Rui. et al. Os testes de flexibilidade do banco de wells realizados em jovens no processo de recrutamento obrigatório demonstraram que a atividade física não influencia na flexibilidade muscular. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 2, n. 10, p. 409-414, jul./ago. 2008.

DORTA, Haron Silva. Relação entre os músculos isquiotibiais e paravertebrais Com a lombalgia. Coluna/Columna, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 241-243, mar. 2016.

FERNANI, Deborah Cristina Gonçalves Luiz. et al. Anthropometric profile, physical activity level, degree of anxiety, and posture in college students. Revista Fisioterapia e Pesquisa, v. 24, n. 2, p. 191-197, jun. 2017.

FERREIRA, Marcus Vinicius Nascimento. et al. A prevalência da obesidade e sobrepeso e níveis de flexibilidade em adolescentes de 14 a 18 anos. Fédération Internationale d’Education Physique, v. 83, 2013.

FERREIRA, Regicely Aline Brandão; BENICIO, Maria Helena D’Aquino. Obesidade em mulheres brasileiras: associação com paridade e nível socioeconômico. Revista Panamericana de Salud Pública, São Paulo, v. 37, n. 4/5, 2015.

GASPAROTTO, Guilherme da Silva. et al. Associação entre fatores sociodemográficos e o nível de atividade física de universitários. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 21, n. 30, p. 30-40, out. 2013.

GROSSL, Talita; LIMA, Luiz Rodrigo Augustemak de; KARASAIAK, Fábio Colussi. Relação entre a gordura corporal e indicadores antropométricos em adultos frequentadores de academia. Motricidade, Florianópolis, v. 6, n. 2, p. 35-45, mar. 2010.

HEYWARD, Vivian H; STOLARCZYK, Lisa M. Avaliação da composição corporal aplicada. São Paulo: Manole. 2000.

HULENS, Maria. et al. Assessment of Isokinetic Muscle Strength in Women Who Are Obese. Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy, Belgium, v. 32, n. 7, p. 347-356, jul. 2002.

LAFORTUNA, Claudio L; TRESOLDI, Daniele; RIZZO, Giovanna. Influence of body adiposity on structural characteristics of skeletal muscle in men and women. Clinical Physiology and Functional Imaging, Milan, v. 34, p. 47-55, jan. 2014.

LOPES, André Luiz; RIBEIRO, Gustavo dos Santos. Antropometria aplicada à saúde e ao desempenho esportivo: uma abordagem a partir da metodologia ISAK. 1º ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2014, 232 p.

LOPES, Geovanna Lemos; SANTOS, Maria Izabel Penha de Oliveira. Funcionalidade de idosos cadastrados em uma unidade da Estratégia Saúde da Família segundo categorias da Classificação Internacional de Funcionalidade. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 71- 83, jan./mar. 2015.

LOPES, Wendell Arthur. et al. Influência da obesidade na força muscular de membros inferiores e superiores em adolescentes. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v.18, n.6, nov. 2013.

NEW YORK. Dual position back ex/flex attachment: Operation Manual. Biodex Medical Systems, Inc. Disponível em: . Acesso em 31 de outubro de 2017.

PAJOUTANA, Mojdeh; MEHTA, Ranjana K; CAVUOTO, Lora A. Obesity effect on isometric strength of the trunk extensors. Journals Sage, Texas, 2016.

PHILLIPS, Catherine M. Metabolically healthy obesity across the life course: epidemiology, determinants, and implications. Annals of the new york academy of sciences, New York, v. 1391, mar. 2016.

SANT’ANNA JUNIOR, Maurício de. et al. Disfunção Autonômica Cardiovascular em Pacientes com Obesidade Mórbida. Arquivos Brasileiros de cardiologia, Rio de Janeiro, v. 105, n. 6, p. 580-587, nov. 2015.

SALES, Marcelo Magalhães. et al. Índice de massa corporal estima percentual de gordura corporal calculado pela espessura de dobras cutâneas em mulheres adultas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 21, n. 2, p. 5-10, nov. 2013.

SILVA-HAMU, Tânia Cristina Dias da. et al. The impact of obesity in the kinematic parameters of gait in young women. International Journal of General Medicine, Goiânia, v. 6, p. 507–513, jun. 2013.

SILVA NETO, Moacir. Avaliação isocinética da força muscular em atletas profissionais de futebol feminino. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v. 16, n. 1, jan./feb. 2010.

SILVA, Wanderson Roberto. et al. Fatores que contribuem para preocupação com a imagem corporal de estudantes universitárias. Revista Brasileira de epidemiologia, Araraquara, v. 18, n. 4, p. 785-797, out./dez. 2015.

SIQUEIRA, Gisela Rocha; SILVA, Giselia Alves Pontes da. Alterações posturais da coluna e instabilidade lombar no indivíduo obeso: uma revisão de literatura. Revista Fisioterapia em Movimento, v. 24, n. 3, p 557-66, jul/.set. 2011.

SOUZA, Ivo Eduardo Chanca Diniz de. et al. Níveis de atividade física e estágios de mudança de comportamento de universitários da área de saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 20, n. 6, p. 608-610, nov. 2015.

SOUZA, Luciana Bronzi de. et al. Inadequação de consumo alimentar, antropometria e estilo de vida de universitárias da área de saúde. Journal of the Health Sciences Institute, Botucatu, v. 30, n. 4, p. 377-381, 2012.

TOMLINSON, Dave J. et al. The impact of obesity on skeletal muscle architecture in untrained young vs. old women. Journal of Anatomy, v. 225, p. 675-684, oct. 2014.

TOSCANO, José Jean de Oliveira; EGYPTO, Evandro Pinheiro do. A influência do sedentarismo na prevalência de lombalgia. Revista Brasileia de Medicina do Esporte, Niterói v. 7, n. 4, jul./aug. 2001.

ZABKA, Felipe Furlan; VALENTE, Henrique Gonçalves; PACHECO, Adriana Moré. Avaliação isocinética dos músculos extensores e flexores de joelho em jogadores de futebol profissional. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v.17, n. 3 maio./jun. 2011.

WITT, Benita de; VENTER, Ranel. The ‘Bunkie’ test: Assessing functional strength to restore function through fascia manipulation. Journal of Bodywork and Movement Therapies, v. 13, p. 81-88, jan. 2009.

World health organization. Obesity and overweight. Genebra, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 de outubro 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.33362/ries.v8i1.1492

Direitos autorais 2019 Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2238-832X

-------------------------------------------------------------

Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP)
Rua Victor Baptista Adami, 800 - Centro
CEP: 89500-000 - Cx. Postal 232 - Fone: (49) 3561-6200
E-mail: uniarp@uniarp.edu.br

Copyright © 2010 UNIARP. Todos os direitos reservados.