ANÁLISE DE SUBCULTURAS EM UMA ORGANIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR

André Luiz Mendes Athayde, Mateus Pereira Santos

Resumo


A cultura funciona como um mecanismo que traz coesão a um grupo e, no contexto organizacional, quanto mais convergentes se mostram os seus colaboradores entre si, mais forte é a sua cultura e menos conflitos e desgastes se espera encontrar em suas práticas laborais. A presente pesquisa, através de um estudo multicaso, objetivou verificar se existem diferenças entre as culturas organizacionais instaladas em duas empresas regionais de uma organização do terceiro setor, significativas a ponto de caracterizarem duas distintas subculturas. Realizou-se um diagnóstico cultural, baseando-se em quatro dimensões internacionalmente conhecidas e difundidas por Geert Hofstede, a saber: Índice de Distância Hierárquica, Índice de Individualismo, Índice de Masculinidade e Índice de Controle da Incerteza. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa quantitativa-descritiva, utilizando-se uma escala de dimensões culturais já validada em estudos relevantes prévios. Os resultados encontrados jogaram luz na hipótese de que, mesmo que uma organização se esforce no sentido de disseminar seus valores culturais, objetivando que seus colaboradores assumam pensamentos uníssonos e consoantes com os objetivos institucionais, a existência de subculturas dentro de uma organização pode fazer, por exemplo, com que empresas filiais de uma organização matriz apresentem particularidades que desviem, em maior ou menor grau, dos valores desta. Isso, em última análise, pode prejudicar o alcance dos objetivos organizacionais. Uma das principais reflexões e contribuições levantadas por este trabalho diz respeito ao fato de que as peculiaridades de cada cultura organizacional precisam ser levadas em consideração quando do estabelecimento de objetivos e métricas de controle.

Palavras-Chave: Cultura Organizacional. Dimensões Culturais. Terceiro Setor.

 

ANALYSIS OF SUBCULTURES IN A THIRD-SECTOR ORGANIZATION

Abstract: Culture works as a mechanism that brings cohesion to a group and, in the organizational context, the more convergent the employees are, the stronger their culture and the fewer conflicts and wastes they are expected to find in their work practices. The present research, through a multicase study, aimed to verify if there are differences between the organizational cultures installed in two regional companies of a third sector organization, significant to the point of characterizing two different subcultures. A cultural diagnosis was made, based on four dimensions internationally known and diffused by Geert Hofstede, namely Hierarchical Distance Index, Individualism Index, Masculinity Index and Uncertainty Control Index. For that, a quantitative-descriptive research was developed, using a scale of cultural dimensions already validated in previous relevant studies. The results found have shed light on the hypothesis that, even if an organization strives to disseminate its cultural values, aiming its collaborators to assume unified and consonant thoughts with institutional objectives, the existence of subcultures within an organization can, for example, subsidiaries of a headquarters organization have particularities which deviate, to a greater or lesser extent, from the values of the latter. This can ultimately undermine the achievement of organizational goals. One of the main reflections and contributions raised by this work concerns the fact that the peculiarities of each organizational culture need to be taken into account when establishing control objectives and metrics.

Keywords: Organizational Culture. Cultural Dimensions. Third Sector.


Palavras-chave


Cultura Organizacional; Dimensões Culturais; Terceiro Setor.

Texto completo:

PDF

Referências


AKTOUF, O. O simbolismo e a cultura da empresa: dos arcabouços conceituais às lições empíricas. In: CHANLAT, J. F. (Org.) O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 2007, v. III.

ALCÂNTARA, V. C.; ANDRADE, L. F. S.; MENESES, R. S. S.; GOD, P. I. G. Mensuração da Cultura Organizacional: Uma análise quantitativa-comparativa. RECADM. Paraná, v. 9, n. 2, p. 213-232, Novembro. 2010.

DAVIS, S.M. Managing Corporate Culture. 1 Ed. Cambridge: Harper & Row, 1984.

DUARTE, S. V.; FURTADO, M. S. V. Manual para elaboração de monografias e projetos de pesquisa. 3. Ed. Montes Claros: Unimontes, 2002.

DUPUIS, J. P. Antropologia, cultura e ação: proposta de um modelo construtivista. In: CHANLAT, J. F (Org.) O indivíduo e as organizações: dimensões esquecidas. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

FALCONER, A. P. A promessa do Terceiro Setor: um estudo sobre a construção do papel das organizações sem fins lucrativos e do seu campo de gestão. Dissertação (Mestrado). São Paulo: FEA-USP, 1999.

FREITAS, M. E. de. Cultura organizacional: identidade, sedução e carisma. 4.Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

HOFSTEDE, G. Country Comparison. In: Hofstede Insights. 2010. Disponível em < https://www.hofstede-insights.com/country-comparison/denmark/> visitado em 21 de Março de 2018.

HOFSTEDE, G. Culture's consequences: International differences in work-related values. Beverly Hills: Sage. 1980.

HOUSE, R. J.; HANGES, P. J.; JAVIDAN, M.; DORFMAN, P. W.; GUPTA, V. Culture, leadership and organizations: The GLOBE study of 62 societies. Thousand Oaks, CA: Sage, 2004.

INGLEHART, R. Modernization and postmodernization: Cultural, economic, and political change in 43 societies. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1997.

KAUARK, F. S; MANHÃES, F. C; MEDEIROS, C. H. Metodologia da Pesquisa: um guia prático. Itabuna-BA: Via Litterarum, 2010.

LARAIA, R. de B. Cultura um conceito Antropológico. 23. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

LOURENÇO, N. R. A.; DOS SANTOS J. P. C. Assistencialismo versus Emancipação: o papel do terceiro setor na sociedade atual. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.12, p. 10-14, Junho. 2010.

MINTZBERG et al. Safári de Estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000;

MORGAN, G. Imagens da organização. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MOTTA, F. C. P.; CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

ORSI, A.; MARINO, E.; ROSSI, L.; BERTOIA, N.; SHINIASHIKI, R. Cultura Organizacional e Terceiro Setor. Revista Gestão e Conhecimento - FACET, volume 3, nº 1, Curitiba, 2005.

PIRES, J. C de S.; MACÊDO, B. K. Cultura organizacional em organizações públicas no Brasil. RAE. Rio de Janeiro. v. 40, n. 1, p. 81-105, jan/fev.2006.

ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F. Comportamento organizacional: Teoria e prática no contexto brasileiro, 14 edição, Pearson, São Paulo, 2010.

RUSSO, G. M. Diagnóstico da Cultura Organizacional: O Impacto dos Valores Organizacionais no Desempenho das Terceirizações. 1. Ed. São Paulo: Dedix, 2010.

SCHEIN, E. Cultura Organizacional e Liderança. São Paulo: Atlas, 1985.

SCHWARTZ, S. H.; CIECIUCH, J.; VECCHIONE, M.; DAVIDOV, E.; FISCHER, R.; BEIERLEIN, C.; RAMOS, A.; VERKASALO, M.; LÖNNQVIST, J. E.; DEMIRUTKU, K.; DIRILEN-GUMUS, O.; KONTY, M. Refining the theory of basic individual values. Journal of Personality and Social Psychology, v. 103, 2012, p. 663-688.

SMITH, P. B.; FISCHER, R.; VIGNOLES, V. L.; BOND, M. H. Understanding Social Psychology Across Cultures: Engaging with Others in a Changing World, London: Sage, 2013.

SROUR, R. H. Poder, Cultura e Ética nas organizações. 8 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TACHIZAWA, Takeshy. Organizações Não Governamentais e Terceiro Setor. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

TRIANDIS, H. C. Subjective Culture. Online Readings in Psychology and Culture, v. 2, n. 2, 2002, p. 1-12.

TANURE, Betânia. Gestão à Brasileira: Uma Comparação entre América latina, Estados Unidos, Europa e Ásia. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

TROMPENAARS, F.; HAMPDEN-TURNER, C. Riding the waves of culture: Understanding cultural diversity in business. 3. ed. London: Nicholas Brealey, 2012.

VOLTOLINI, R. Terceiro Setor: planejamento e gestão. 2. Ed. São Paulo: Senac, 2003.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.33362/visao.v8i1.1914

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 

ISSN: 2238-9636

-------------------------------------------------------------

Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP)- Rua Victor Baptista Adami, 800- Centro
CEP: 89500-000 - Cx. Postal 232 - Fone: (49) 3561-6200 E-mail: uniarp@uniarp.edu.br