CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA JURÍDICA NA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS LABORAIS NA SOCIEDADE DO SÉCULO XXI

CONTRIBUTIONS OF LEGAL PSYCHOLOGY IN THE MEDIATION OF LABOR CONFLICTS IN 21ST CENTURY SOCIETY

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33362/ext.v10i1.2900

Palavras-chave:

Psicologia Jurídica. Conflitos. Mediação. Psicologia Organizacional.

Resumo

RESUMO: Discutir a importância da psicologia jurídica, bem como a função dos psicólogos no âmbito da justiça auxiliando em questões relativas à saúde mental dos envolvidos em um processo torna-se essencial. Esta dissertação tem como objetivo geral descrever fatores que caracterizam a atuação profissional no campo da Psicologia Jurídica no que se refere à mediação de conflitos em ambientes laborais no meio oeste catarinense. Atrelados a esse objetivo geral, trata-se como objetivos específicos: estudar os comportamentos complexos que ocorreram e que podem vir a ocorrer no ambiente laboral; analisar os motivos desencadeadores de conflitos nas organizações e aprimorar o conhecimento quanto ao papel da psicologia jurídica junto aos envolvidos no ambiente, interligados à integridade individual, cultural e ambiental. Caracteriza-se como de natureza aplicada, com abordagem qualitativa exploratória. Os sujeitos participantes foram um total de 5 (cinco) profissionais da área da Psicologia, com especialização tanto nas áreas Jurídicas, quanto na área Organizacional/do Trabalho. Foi possível identificar que para a legislatura atual, um mediador de conflitos não precisa necessariamente de graduação em Psicologia, muito menos especialização em Jurídica, porém um conhecimento amplo no assunto (adquirido pelo profissional Psicólogo) torna-se um ponto a mais no processo de humanização dos conflitos judiciais.  Saber mediar um conflito, entender ambas as partes envolvidas e chegar à uma resolução que não prejudique nenhuma das partes não é uma tarefa fácil, mediante esse contexto, considera-se a grande importância do Psicólogo como o mediador nesse caso.

 

Palavras-chave: Psicologia Jurídica. Conflitos. Mediação. Psicologia Organizacional.

ABSTRACT: Discussing the importance of legal psychology, as well as the role of psychologists in the field of justice, assisting in issues related to the mental health of those involved in a process becomes essential. This dissertation has as general objective to describe factors that characterize the professional performance in the field of Legal Psychology with regard to the mediation of conflicts in work environments in the middle west of Santa Catarina. Linked to this general objective, the following are specific objectives: to study the complex behaviors that have occurred and that may occur in the work environment; analyze the reasons that trigger conflicts in organizations and improve knowledge about the role of legal psychology with those involved in the environment, linked to individual, cultural and environmental integrity. It is characterized as applied in nature, with an exploratory qualitative approach. The participating subjects were a total of 5 (five) professionals in the field of Psychology, with specialization in both the Legal and Organizational/Work areas. It was possible to identify that for the current legislature, a conflict mediator does not necessarily need a degree in Psychology, much less a specialization in Legal, but a broad knowledge on the subject (acquired by the Psychologist professional) becomes an additional point in the humanization process. of legal disputes. Knowing how to mediate a conflict, understanding both parties involved and reaching a resolution that does not harm either party is not an easy task, in this context, it is considered the great importance of the Psychologist as the mediator in this case.

Keywords: Juridical Psychology. Conflicts. Mediation. Organizational psychology.

Biografia do Autor

Josiéli Varela Forlin, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Mestre em Desenvolvimento e Sociedade. Universidade Alto Vale do Rio do Peixe.

Joel Haroldo Baade, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

Doutorado (2011 - Conceito CAPES 6) e Mestrado (2007 - Conceito CAPES 6) em Teologia pela Escola Superior de Teologia - Faculdades EST (São Leopoldo/RS). Especialização em Administração Escolar, Supervisão e Orientação pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI (2013). Graduação em Teologia pela Escola Superior de Teologia - Faculdades EST (São Leopoldo/RS) (Conceito 5). Graduação em Administração pela Universidade do Contestado (UnC, 2016). A formação inclui temas como Ética, Pesquisa, Metodologia de Pesquisa, História das Religiões, História da Educação, Hermenêutica, Correntes Pedagógicas, Sociologia, Filosofia, Teoria Curricular, Gestão Educacional. Formação e experiência na área de educação a distância (EAD). Desde fevereiro de 2011, professor da UNIARP (Universidade do Alto Vale do Rio do Peixe em Caçador-SC), lecionando diversas disciplinas em nível de graduação e pós-graduação. Líder do Grupo de Pesquisa em Ética, Cidadania e Sustentabilidade (CNPq). Editor-chefe da Revista Visão de Gestão Organizacional. Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC). Docente e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Sociedade e do Mestrado Profissional em Educação da UNIARP. Coordenador geral do programa de Educação a Distância do Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE). Sua pesquisa, produção técnica e tecnológica estão concentradas na Epistemologia, Interdisciplinaridade e Ética na construção do conhecimento, desde a Educação Básica até a Pós-Graduação.

Referências

ALTOÉ, Sônia. Atualidade da Psicologia Jurídica. Instituto de psicologia da UERJ. Disponível em: http://www.estig.ipbeja.pt/ac_direito/psicologia_juridica.pdf. Acesso em: 27 nov. 2021.

ANA, W. P. S; LEMOS, G. C. Metodologia científica: a pesquisa qualitativa nas visões de Lüdke e André. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar. Mossoró, v. 4, n. 12, 2018.

ANDRADE, André. Psicologia e os métodos de solução de conflitos. Faculdade dos Guararapes, 2017.

BASTOS, A. V. B.; GONDIM, Sonia Maria Guedes(Org.). O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e Medo na Cidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Medo Líquido. Rio de Janeiro: Zahar, 2008

BRASIL. Lei 13.140, de 26 de junho de 2015. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da Administração Pública; altera a Lei nº 9.469, de 10 de julho de 1997, e o Decreto nº 70.235, de 6 de março de 1972; e revoga o § 2º do art. 6º da Lei nº 9.469, de 10 de julho de 1997. Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13140.htm. Acesso em: 1 mar. 2021.

BRASIL. Manual de mediação judicial. Conselho Nacional de Justiça. 2016.

BRITO, L, M, T. Anotações sobre a psicologia jurídica. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 32(esp.), p. 194-205, 2012.

CAIRES, M. A. F. Psicologia jurídica: implicações conceituais e aplicações práticas. São Paulo: Vetor, 2003.

CAMPOS, I. C. M. Diagnóstico de transtornos mentais e comportamentais e relação com o trabalho de servidores públicos estaduais. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis-SC, 2006.

CERQUEIRA, J. Conflitos no Ambiente de Trabalho. 2015. Disponível em: https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/conflitos-no-ambiente-de-trabalho/. Acesso em: 25 out 2021.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. 2.ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

DUBRIN, A J. Fundamentos do comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

FRANÇA, F. M. (2012). Síndrome de Burnout e os aspectos sócio-demográficos em profissionais de enfermagem. Acta Paulista Enfermagem, v. 25, n. 5, p. 743-748, 2012. Disponível em: http://www2.unifesp.br/acta/pdf/v25/n5/v25n5a15.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

LAGO, Vivian de Medeiros.et. al: Um breve histórico da psicologia jurídica no Brasil e seus campos de atuação. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 26, n. 4, p. 483-491. out./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v26n4/09.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

LEMOS, Glauciele Gomes. Assédio moral no trabalho: implicações na saúde física e psí- quica na saúde dos trabalhadores. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Psicologia) − Faculdade Frassinetti do Recife, Recife, 2012. 23 f.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

LOPES, Jéssica Beatriz Silva; MAIA, Soares Elisa; SOARES, Laura Cristina Eiras Coelho. Interdisciplinar entre psicologia e direito: Grupo de estudos como ferramenta de aprendizagem. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 44-59, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.35699/2237-5864.2018.2440. Acesso em: 15 nov. 2021.

NOVO; Benigno Nuñez. A importância da psicologia jurídica. Disponível em https://ambitojuridico.com.br/edicoes/revista-171/a-importancia-da-psicologia-juridica/. Acesso em: 19 nov. 2020.

OLIVEIRA, H, M. A. Psicologia jurídica e a psicanálise freudiana como bases teórico-práticas para uma abordagem interdisciplinar do direito. 2011. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/redunb/article/viewFile/7117/5610. Acesso em: 19 jul. 2020.

ROBBINS, Stephen P. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2005.

SALES, Lília Maia de Morais. A mediação de conflitos – lidando positivamente com as emoções para gerir conflitos. Fortaleza: Pensar, 2016.

SANTOS, Luiz Fernando Amaral dos. Apostila Metodologia da Pesquisa Científica II. Itapeva: Faculdade Metodista de Itapeva, 2006.

SILVA, D. M. P. Psicologia jurídica no processo civil brasileiro. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

SILVA, Glenio Luiz da Rosa e. Controle do Turnover: como prevenir e demitir com responsabilidade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

Downloads

Publicado

2022-09-30

Como Citar

FORLIN, J. V. .; BAADE, J. H. CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA JURÍDICA NA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS LABORAIS NA SOCIEDADE DO SÉCULO XXI: CONTRIBUTIONS OF LEGAL PSYCHOLOGY IN THE MEDIATION OF LABOR CONFLICTS IN 21ST CENTURY SOCIETY. Extensão em Foco (ISSN: 2317-9791), [S. l.], v. 10, n. 1, p. 32-46, 2022. DOI: 10.33362/ext.v10i1.2900. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/extensao/article/view/2900. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos