FORMAÇÃO DOCENTE E O NOVO ENSINO MÉDIO EM TEMPOS DE PANDEMIA:

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Lucas Baumgärtner FURB

DOI:

https://doi.org/10.33362/ext.v9i1.2732

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo relatar a experiência de formação dos estudantes/bolsistas da Universidade Regional de Blumenau (FURB) no Programa de Educação Superior para o Desenvolvimento Regional (PROESDE). O Novo Ensino Médio foi o tema de estudo do ano de 2020, onde foi oportunizado momentos de reflexões e planejamentos para o aperfeiçoamento das práticas pedagógicas dos futuros educadores. A partir da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC, 2018) e estudos sobre a teoria histórico-cultural de Vigotski foi proposto a elaboração de um plano de aula interdisciplinar da área das linguagens e suas tecnologias com base no Ensino Desenvolvimental de Davidov. Assim, o plano foi elaborado em cinco ações: a formação da base teórica, a análise mental do processo, a formação da postura teórica, a exploração do conhecimento situado e concreto e o exame qualitativo dos fundamentos teóricos das ações. Todo esse processo foi idealizado por Davidov (2013/1986) que propôs um planejamento voltado para a aprendizagem gradual do estudante. Além disso, para que a prática educativa se relacione com a atividade de estudo e forme o pensamento teórico do estudante, foram consideradas quatro categorias: os amplificadores culturais e ação mediada, grau de abstração e relações de generalidade, participação orientada e emergência de espaços comunicativos. O tema escolhido pelo grupo para a elaboração do plano foi Variações Linguísticas, com foco na desconstrução de preconceitos e noções normativas da língua, primando pela comunicação e criação de conexões entre comunidades linguísticas distintas. O principal resultado identificado foi que a formação continuada é de extrema importância para o docente, fazendo com que conheça novas tendências pedagógicas e possam utilizá-las no contexto de sala de aula.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

LIBÂNEO, José Carlos. A didática e a aprendizagem do pensar e do aprender: A teoria Histórico-Cultural da Atividade e a contribuição de Vasili Davydov. Revista Brasileira de Educação, Universidade Católica de Goiás, p. 5 - 208, maio de 2004.

EVANGELISTA, Olinda (Org.). Formação de professores no Brasil: leituras e contrapelo. Araraquara – SP, Junqueira e Marin, 2014.

NOVÓA, António. Carta a um jovem investigador em Educação. 2015.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (Org). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

SANTA CATARINA. Proposta Curricular de Santa Catarina: formação integral na educação básica. Florianópolis: SED, 2014, p. 23-90.

Downloads

Publicado

2021-12-23

Como Citar

BAUMGÄRTNER, L. FORMAÇÃO DOCENTE E O NOVO ENSINO MÉDIO EM TEMPOS DE PANDEMIA:: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. Extensão em Foco (ISSN: 2317-9791), [S. l.], v. 9, n. 1, p. 83-91, 2021. DOI: 10.33362/ext.v9i1.2732. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/extensao/article/view/2732. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos