INFLUÊNCIA DO VISAGISMO E DA MAQUIAGEM NA AUTOESTIMA DE ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADAS.

Autores

  • Lucimar Filot da Silva Brum Universidade Luterana do Brasil
  • Silvinha Maravieski Universidade Luterana do Brasil
  • Fernanda Raquel Silva Bertim

DOI:

https://doi.org/10.33362/ries.v2i2.154

Palavras-chave:

visagismo, maquiagem, autoestima, adolescentes institucionalizadas.

Resumo

Autoestima é o conjunto de atitudes que cada indivíduo tem sobre si mesmo, percepção sobre si mesmo, que podem ser positivas ou negativas, revelando-se através de acontecimentos sociais, emocionais e psicossomáticos. O presente trabalho realizou uma investigação exploratória sobre a relevância de cuidados estéticos na autoestima de adolescentes institucionalizadas. O estudo foi desenvolvido no período de maio a junho de 2011, e a autoestima foi avaliada através da aplicação da Escala de Autoestima de Rosenberg antes e após as oficinas de visagismo e maquiagem com sete adolescentes do sexo feminino, com idades entre quatorze e dezoito anos, residentes em uma instituição casa-lar. Os resultados demonstram que, no início da investigação, as adolescentes apresentavam uma baixa autoestima associada a uma autoimagem negativa. Com a realização das oficinas de maquiagem e com o aprendizado das técnicas de visagismo e automaquiagem constatou-se um aumento significativo na autoestima das adolescentes. Nesse contexto, portanto, pode-se inferir que os cuidados estéticos através de oficinas de visagismo e maquiagem podem contribuir positivamente na promoção da autoestima de adolescentes.

Biografia do Autor

Lucimar Filot da Silva Brum, Universidade Luterana do Brasil

Farmacêutica. Doutora em Ciências Biológicas-Bioquimica (UFRGS). Professora do Bacharelado e Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, RS.

Silvinha Maravieski, Universidade Luterana do Brasil

Psicóloga graduada na Universidade Luterana do Brasil, pós-graduada em Psicossomática na Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Fernanda Raquel Silva Bertim

Tecnóloga em Estética e Cosmética graduada na Universidade Luterana do Brasil – ULBRA.

Referências

ABERASTURY, Arminda.; KNOBEL, Maurício. Adolescência normal: um enfoque psicodinâmico. Porto Alegre: Artmed. 1981.

_________. Adolescência normal: um enfoque psicanalítico. 10 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

ASSIS, Simone G. et al. A representação social do ser adolescente: um passo decisivo na promoção da saúde. Ciênc. Saúde Coletiva, n. 3, p. 669-680, 2003.

BEE, Helen. O ciclo vital. Porto Alegre: Artmed, 1987.

BRANDEN, Nathaniel. A autoestima e seus seis pilares. 5ª ed. São Paulo: Saraiva 2000.

DIOGO, Fernanda Vilela. Relação familiar e autoestima. Investigação, n. 1, p. 17–24, 2009.

HALLAWELL, Philip. Visagismo: Harmonia e estética. 6ª ed. São Paulo: SENAC 2009.

_________. Visagismo integrado. 2ª ed. São Paulo: SENAC, 2008.

KALINA, Eduardo. Psicoterapia de Adolescentes: Teoria, técnica e casos clínicos. 3ª ed. Porto Alegre, Artmed. 1999.

MOLINOS. Duda. Maquiagem. 10ª ed. São Paulo: SENAC, 2009.

SCHAFER, David. Psicologia do Desenvolvimento: Infância e Adolescência. São Paulo: Thomson. 2005.

WORLD HEATH ORGANIZATION. Disponível em: http://www.who.int/en/ Acesso em 10 nov. 2011.

ZIMERMANN, David E. Fundamentos Psicanalíticos: teoria, técnica e clínica – uma abordagem didática. Porto Alegre: Artmed, 1999.

Publicado

2013-12-02

Edição

Seção

Dossiê: Estética e Saúde