AVALIAÇÃO DAS INFECÇÕES HOSPITALARES EM IDOSOS

Autores

  • Ana Paula Anzolin Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • Luís Henrique Tavares
  • Ana Katharina Dalbosco
  • Marilene Portella
  • Siomara Hahn
  • Charise Dallazem Bertol

DOI:

https://doi.org/10.33362/ries.v9i1.1635

Resumo

Há uma enorme preocupação mundial em torno do uso dos antimicrobianos. As doenças infecciosas estão entre as que mais acometem os idosos e são uma das principais causadoras da hospitalização, responsáveis por 30% da mortalidade desta população, com isso o objetivo foi determinar quais são os principais focos de infecções que acometem os idosos, bem como qual é o manejo mais adequado para se diminuir a infecção hospitalar, por meio de uma revisão integrativa, no período entre 2000 e 2015, utilizando palavras-chave como: “idoso”; “antibióticos” e “hospitalização”. A seleção das publicações foi feita a partir de critérios de inclusão e exclusão. Viu-se queas infecções mais comuns nos idosos são as respiratórias e as localizadas no trato urinário (ITU), em que as maiores taxas são nos pacientes internados nas Unidades de Tratamento Intensivos (UTIs). Mesmo as infecções mais comuns são de difícil controle nos idosos, pois há demora para estabelecer o diagnóstico e o estado nutricional e funcional do paciente interferem na eficácia e segurança do tratamento. Outro fator que contribui para o insucesso de vários tratamentos é o uso inadequado de antibióticos, em casos de ausência da própria doença infecciosa, duração incorreta do tratamento e a escolha errônea do medicamento para o caso. Portanto, as infecções do trato respiratório e urinário estão entre as mais prevalentes em idosos e os profissionais da saúde devem analisar as indicações e o tempo de uso do tratamento, bem como o histórico medicamentoso do idoso.

 

Downloads

Publicado

2020-04-29

Edição

Seção

Farmácia e Saúde