ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS TÉCNICAS DE MICROCORRENTES E LASERTERAPIA DE BAIXA INTENSIDADE NO TRATAMENTO DE TELANGIECTASIAS FACIAIS

Autores

  • Mônica Magdalena Descalzo Kuplich
  • Claudia das Neves Soares
  • Lívia Filla Nunes

DOI:

https://doi.org/10.33362/ries.v2i2.169

Palavras-chave:

Telangiectasia, Microcorrentes, Terapia a laser de baixa intensidade.

Resumo

As telangiectasias faciais consistem em pequenos capilares dilatados situados na pele, de espessura fina e normalmente apresentam coloração avermelhada, formados por microfístulas arteriovenosas. Acometem milhares de pessoas, principalmente adultos e idosos, não havendo domínio de sexo ou raça e sendo fonte de um grande incômodo a nível estético. Surgem a partir de uma fraqueza na parede do vaso com alterações elásticas ou fraqueza no tecido conjuntivo circundante. O presente estudo teve por objetivo averiguar e comparar a eficácia das técnicas de microcorrentes e laserterapia de baixa intensidade como procedimento para amenização das telangiectasias faciais. O estudo experimental contou com dois grupos compostos por três indivíduos. O Grupo A recebeu a técnica de microcorrentes ao passo que o Grupo B recebeu a técnica de laserterapia de baixa intensidade. Realizaram-se 10 aplicações em cada amostra e os dados da pesquisa foram coletados através de documentação fotográfica. Os resultados encontrados foram diminuição do aspecto hiperemiado assim como da congestão local em ambos os grupos. Não houve alterações expressivas quanto a presença de telangiectasias.

Biografia do Autor

Mônica Magdalena Descalzo Kuplich

Claudia das Neves Soares

Lívia Filla Nunes

Referências

AGNE, J.E. Eu sei eletroterapia. 3 ed. Santa Maria: Pallotti, 2011.

ALSTER. T. S.; LUPTON, J. R. Lasers in dermatology: an overview of types and indications. Am J Clin Dermatol, v.2, n.5, p.291-303, 2001.

BORGES, F. S. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2ed. São Paulo: Phorte, 2010.

BUSNARDO, V. L.; SIMÕES, M. L. P. B. Os efeitos do laser de hélio-neon da baixa intensaidade na cicatrização de lesões cutâneas induzidas em ratos. Rev Bras Fisioter, v.14, n.1, p.45-51, 2010.

CAVALCANTI, T. M. et al..Conhecimento das propriedades físicas e da interação do laser com os tecidos biológicos na odontologia. An Bras Dermatol, v.86, n.5, p.955-60, 2011.

CHAVANTES, M. C. Laser em biomedicina: princípios e práticas. São Paulo: Atheneu, 2009.

CLEMENTONI, M. T. Intense pulsed light treatment of 1,000 consecutive patients with facial vascular marks. Aesthetic Plast Surg, v.30, n.2, p.226-32, 2006.

COSTA, A.; ALVES, G.; AZULAY, L. Dermatologia e gravidez. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

CORREA, F. I. et al. Comparação do efeito antiinflamatório dos lasers de baixa potência AsGa e AsGaAl em edema de pata de ratos. XVIII Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica, Universidade do Vale do Paraíba, v.1, p.33-6, 2002.

CUCÉ, L. C.; NETO, C. F. Manual de Dermatologia. 2ed. São Paulo: Atheneu, 2001.

DAL GOBBO, P. C. Estética facial essencial: orientações para o profissional de estética. São Paulo: Artheneu, 2010.

DEPREZ, P. Peeling químico: superficial, médio e profundo. Rio de Janeiro: Revinter, 2009.

ELWING, A.; SANCHES, O. Drenagem linfática manual: teoria e prática. São Paulo: Senac, 2010.

FELIPE, P. M. Os efeitos da microcorrente com eletrodos móveis sobre as linhas de expressão na região orbicular do olho. 2011. 30p. Monografia para a obtenção do grau de bacharel, no curso de Fisioterapia, Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. Santa Catarina, 2011.

FINKEL, R.; CUBEDDU, L. X.; CLARK, M. A. Farmacologia ilustrada. 4 ed. São Paulo: Artmed, 2009.

GASPAR, R. J.; MEDEIROS, C. A. F. Tratamento combinado da cirurgia de varizes com a escleroterapia de telangiectasias dos membros inferiores no mesmo ato. J Vasc Bras, v.5, n.1, p.53-7, 2006.

GOLDBERG, D. J.; MEINE, J. G. A. Comparison of four frequency-doubled Nd:YAG (532nm) laser systems for treatment of facial telangiectases. Dermatol Surg, v.25, n.6, p.463-7, 1999.

GOLDMAN, M. P.; BENNETT, R. G. Treatment of telangiectasia: a review. J Am Acad Dermatol, v.17, n.2, p.167-182, 1987.

HABIF, T. P. Dermatologia clínica: guia colorido para diagnóstico e tratamento. 4ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

HERCOGOVA, J. et al. T. Laser treatment of cutaneous vascular lesions: face and leg telangiectases. Eur Acad Dermatol Venereol, v.16, p.12-8, 2002.

JAMES, W. D.; BERGER, T. G.; ELSTON, D. M. Andrews doenças da pele: dermatologia clínica. 10 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

JEDWAB, S. K. K. Laser e outras tecnologias na dermatologia. São Paulo: Santos, 2010.

KEDE, M. P. V.; SABATOVICH, O. Dermatologia estética. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 2009.

LINS, R. D. A. U. et al. Efeitos bioestimulantes do laser de baixa potência no processo de reparo. An Bras Dermatol, v.85, n.6, p.849-55, 2010.

KATZUNG, B. G. Farmacologia básica e clínica. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

KITCHEN, S. Eletroterapia: prática baseada em evidências. 2 ed. São Paulo: Manole, 2003.

KORELO, R. I. G. et al. Aplicação da microcorrente como recurso para tratamento de úlceras venosas: um estudo piloto. Rev Latino-Am Enfermagem, v.20, n.4, p.1-8, 2012.

LINCOLN, E. A. Sun-induced skin changes. Rev Primary Care, v.27, n.2, p.435-445, 2000.

MACEDO, A. C. B. Aplicação de estimulação elétrica de baixa intensidade no tratamento de úlceras varicosas. Fisioter Mov, v.20, n.3, p.25-33, 2007.

MCCOPPIN, H. H. H.; GOLDBERG, D. J. Laser treatment of facial telangiectases: an update. Dermatol Surg, v.36, n.8, p.1221–30, 2010.

NETTO, B. P. et al. Laserterapia de baixa intensidade no tratamento de desordens temporomandibulares. Rev Fac Odontol, v.48, n.1/3, p.88-91, 2007.

NYMANN, P.; HEDELUND, L.; HAEDERSDAL, M. Long-pulsed dye laser vs. intense pulsed light for the treatment of facial telangiectasias: a randomized controlled trial. J Eur Acad Dermatol Venereol, v.24, n.2, p.143-46, 2010.

OLIVEIRA, V. C. A eletroestimulação por microcorrentes na revitalização facial. 2011. 14p. Monografia para a obtenção do Titulo de Especialista em Estética, Faculdade Redentor. São Paulo, 2011.

PIVA, J. A. A. C. et al. Ação da terapia com laser de baixa potência nas fases iniciais do reparo tecidual: princípios básicos. An Bras Dermatol, v.86, n.5, p.947-54, 2011.

ROCHA, J. C. T. Terapia laser, cicatrização tecidual e angiogenese. RBPS, v.17, n.1, p.44-8, 2004.

RODRIGUES, A. C. M. Estudo do efeito da terapia laser de baixa potência associada à terapia com microcorrentes sobre o processo de reparo ósseo em modelo animal. 2006. 38-39 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Biomédica), Universidade do Vale do Paraíba, São Paulo, 2006.

SAMPAIO, S. A. P.; RIVITTI, E. A. Dermatologia. 3 ed. São Paulo: Artes médicas, 2007.

SILVA JÚNIOR, A. N.; OLIVEIRA, M. G. Pode mesmo ser o laser não-cirúrgico ter efeitos terapêuticos? O Siso, n.1, p.10, 2001.

STARKEY, C. Recursos terapêuticos em fisioterapia. 2 ed. São Paulo: Manole, 2001.

SUEHARA, L.Y.; SIMONE, K.; MAIA, M. Avaliação do envelhecimento facial relacionado ao tabagismo. An Bras Dermatol, v.81, n.1, p.34-9, 2006.

THIBAULT, P. K. Copper vapor laser and microsclerotherapy of facial telangiectases. J Dermatol Surg Oncol, v.20, n.1, p.48-54, 1994.

TORRES, B. S.; GODOY, I. Doenças tabaco-relacionadas. J bras pneumol, v.30, n.2, p.19-29, 2004.

TRAPP, S. M. et al. Efeitos da angiotensina II no sistema cardiovascular. Archives of Veterinary Science, v.14, n.4, p.233-43, 2009.

VOLOSZIN, M. Ação da microcorrente na cicatrização de uma abdominoplastia: um estudo de caso em um paciente em tratamento pós-operatório. 2007. 8-11p. Monografia para obtensão do título de Cosmetologia e Estética, Universidade do Vale do Itajaí. Santa Catarina, 2007.

Publicado

2013-12-02

Edição

Seção

Dossiê: Estética e Saúde