ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E GOVERNANÇA: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO COOPERATIVISTA

Autores

  • Larissa Araújo Pereira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS
  • Natália Almeida Picinin Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS
  • Edrilene Barbosa Lima Justi Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS
  • Jamson Justi Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS
  • Jadson Justi Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Parintins, AM http://orcid.org/0000-0003-4280-8502
  • Victor Antunes de Souza Serrão Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Parintins, AM

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v7i2.1525

Palavras-chave:

Estrutura organizacional. Governança corporativa. Cooperativa.

Resumo

Esta pesquisa apresenta uma análise conceitual de estrutura organizacional e uma síntese do sistema cooperativista. Leva em consideração temáticas organizacionais de forma a evidenciar as estruturas modernas relatando sobre as práticas de governança, que, contemporaneamente, têm ganhado destaque no universo corporativo, quando o assunto é gerenciamento das organizações e redução de riscos. Este estudo tem por objetivo verificar de que forma os conceitos de estrutura organizacional e governança podem ser desenvolvidos em uma organização cooperativista e que influências essas definições trazem para o ambiente da organização. Metodologicamente, engendra-se como um estudo de caso, descritivo com abordagem qualitativa, sendo estruturado em aspectos conceituais, contextuais e embasados na coleta de dados, que ocorreu por intermédio de pesquisa in loco. Os dados coletados evidenciam que a cooperativa estudada deve instituir, de forma objetiva e consensual, programas de capacitação com o programa de formação de dirigentes e conselheiros na área de capacitação em governança cooperativa e gestão de cooperativa. Conclui-se que o desafio de uma mudança na estrutura organizacional, e na própria cultura, parte dos cooperados e gestores que devem buscar o desenvolvimento ou ampliação dos processos e as práticas referentes à tomada de decisões, otimizando a comunicação e a relação dos envolvidos, aperfeiçoando o conhecimento da gestão, e maximizando a transparência dos administradores e do próprio negócio.

Palavras-Chave: Estrutura organizacional. Governança corporativa. Cooperativa.

 

Organizational structure and governance: a case study in a cooperative institution

Abstract: This research presents a conceptual analysis of organizational structure and a synthesis of the cooperative system. It takes into consideration organizational themes in order to show the modern structures reporting on the practices of governance, which, at the same time, have gained prominence in the corporate universe when it comes to managing organizations and reducing risks. This study aims to verify how the concepts of organizational structure and governance can be developed in a cooperative organization and what influences these definitions bring to the organization's environment. Methodologically, it is generated as a case study, descriptive with a qualitative approach, being structured in conceptual, contextual and based aspects in the data collection, which occurred through in loco research. The collected data show that the cooperative studied should institute, in an objective and consensual way, training programs with the training program of leaders and advisers in the area of training in cooperative governance and cooperative management. It is concluded that the challenge of a change in the organizational structure, and in the culture itself, is part of the cooperative and managers who must seek the development or expansion of processes and practices regarding decision making, optimizing the communication and the relationship of those involved, improving management knowledge, and maximizing the transparency of managers and the business itself.

Keywords: Organizational structure. Corporate governance. Cooperative.

Biografia do Autor

Larissa Araújo Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS

Pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Natália Almeida Picinin, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS

Pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Edrilene Barbosa Lima Justi, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS

Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Universidade Anhaguera Uniderp.

Jamson Justi, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Nova Andradina, MS

Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 

Jadson Justi, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Parintins, AM

Professor de carreira da Universidade Federal do Amazonas (UFAM); Docente da cadeira de Psicologia e Metodologia do Estudo e da Pesquisa do Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia (ICSEZ) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM); Possui Mestrado acadêmico em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB); Especialização em Bioética pela Universidade Federal de Lavras (UFLA); Graduação em Pedagogia (licenciatura) e em Fonoaudiologia (bacharelado) pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB); Parecerista de periódicos de renome nacional e internacional; Tem experiência no Magistério Superior, com ênfase em estudo e prática educativa nas áreas de Métodos e Técnicas de Pesquisa Científica, Construção da pesquisa acadêmica em suas diversas dimensões metodológicas (planejamento, elaboração e execução), Linguagens e competências técnicas da escrita científica, bem como atenção à Educação e a Saúde Humana.

Victor Antunes de Souza Serrão, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Parintins, AM

Pesquisador da Universidade Federal do Amazonas.

Referências

ALCHIAN, A. A.; DEMSETZ, H. Production, information costs, and economic organization. The American Economic Review, New York, v. 62, n. 5, p. 777-795, 1972. Disponível em: <https://business.illinois.edu/josephm/BA549_Fall%202010/Session%205/Alchian_Demsetz%20%281972%29.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2018.

ANDRADE, A. ROSSETTI, J. P. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 2. ed. São Paulo, Atlas, 2006.

BERLE, A. A.; MEANS, G. Modern corporation and private property. New York: MacMillan, 1932.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 dez. 1971. Não paginado. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L5764.htm>. Acesso em: 8 maio 2018.

CHIAVENATO, I. Administração: teoria, processo e prática. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS. Recomendações da CVM sobre governança corporativa [cartilha de governança]. Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: <http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/decisoes/anexos/0001/3935.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

COSTA, D. R. M.; AZEVEDO, P. F.; CHADDAD, F. R. Determinantes da separação entre propriedade e gestão nas cooperativas agropecuárias brasileiras. Revista de Administração (São Paulo), São Paulo, v. 47, n. 4, p. 581-595, dez. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rausp/v47n4/a06v47n4.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2018.

COSTA, M. C. F.; SOUZA, B. S. S.; FELL, A. F. A. Um estudo da estrutura organizacional e as mudanças organizacionais: proposta de um novo modelo. Navus, v. 2, n. 1, p. 57-74, 2012. Disponível em: <http://navus.sc.senac.br/index.php/navus/article/download/62/40>. Acesso em: 8 maio 2018.

FAMA, E. F.; JENSEN, M. C. Separation of ownership and control. The Journal of Law & Economics, Chicago, v. 26, n. 2, p. 301-325, 1983.

FERREIRA, R. N. et al. Governança corporativa, eficiência, produtividade e desempenho. RAM: Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 4, p. 134-164, 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ram/v14n4/v14n4a06.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2018.

HANSMANN, H. The ownership of enterprise. Cambridge: The Belknap Press of Harvard University Press, 1996.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Guia das melhores práticas de governança para cooperativas. São Paulo, 2015a. Disponível em: <http://www.ibgc.org.br/userfiles/2014/files/Publicacoes/GUIA_DAS_MELHORES_PRATICAS_DE_GOVERNANCA_PARA_COOPERATIVAS.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Código das melhores práticas de governança corporativa. 5. ed. São Paulo, 2015b. Disponível em: <http://www.ibgc.org.br/userfiles/2014/files/codigoMP_5edicao_web.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, Amsterdam, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976. Disponível em: <https://ac.els-cdn.com/0304405X7690026X/1-s2.0-0304405X7690026X-main.pdf?_tid=88482e93-ac21-41d3-908d-34fdc265ccc3&acdnat=1544724108_6d1661033fd60a3d759d24183aaacc96>. Acesso em: 13 dez. 2018.

MÜLBERT, A. L.; MUSSI, C. C.; ANGELONI, M. T. Estrutura: o desenho e o espírito das organizações. In: ANGELONI, M. T. (Org.). Organizações do conhecimento: infra-estrutura, pessoas e tecnologia. São Paulo: Saraiva, 2008. p. 62-78.

NADLER, D. A.; TUSHMAN, M. L. A organização do futuro. HSM Management, São Paulo, n. 18, p. 58-67, 2000.

OLIVEIRA, D. P. R. Manual de gestão das cooperativas: uma abordagem prática. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

PAGNUSSATT, A. Guia do cooperativismo de crédito: organização, governança e politicas corporativas. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2004.

SAITO, R.; SILVEIRA, A. D. M. Governança corporativa: custos de agência e estrutura de propriedade. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 48, n. 2, p. 79-86, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rae/v48n2/v48n2a07.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2018.

SANTOS, A. A. M.; SILVA, D. S. L.; GUIMARÃES, E. A. Departamentalização e os principais tipos. Revista Científica Intermeio, Fortaleza, ano 2, n. 3, p. 43-55, 2014. Disponível em: <http://www.fafor.edu.br/pesquisa/arquivos/Revista_Intermeio_n3_Junho_2014.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

SBRAGIA, R. Algumas características da estrutura matricial. In: MAXIMIANO, A. C. A. et al. (Org.). Administração do processo de inovação tecnológica. São Paulo: Atlas, 1980. p. 147-163.

SILVA JUNIOR, A.; SILVA, P. O. M.; SILVA, A. R. L. Sistemas de valores e implicações na governança corporativa em um grupo empresarial familiar. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 20, n. 65, p. 239-260, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/osoc/v20n65/v20n65a04.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2018.

VASCONCELLOS, E.; HEMSLEY, J. R. Estrutura das organizações: estruturas tradicionais, estruturas para inovação e estrutura matricial. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1997.

WILLIAMSON, O. E. The mechanisms of governance. Oxford: Oxford University Press, 1996.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

PEREIRA, L. A.; PICININ, N. A.; JUSTI, E. B. L.; JUSTI, J.; JUSTI, J.; SERRÃO, V. A. de S. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E GOVERNANÇA: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO COOPERATIVISTA. Revista Visão: Gestão Organizacional, Caçador (SC), Brasil, v. 7, n. 2, p. 48-66, 2018. DOI: 10.33362/visao.v7i2.1525. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/visao/article/view/1525. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)