ORGANIZAÇÕES HÍBRIDAS NA CONCESSÃO DE AEROPORTOS BRASILEIROS: UMA ANÁLISE À LUZ DO INSTITUCIONALISMO

HYBRID ORGANIZATIONS IN THE CONCESSION OF BRAZILIAN AIRPORTS: AN ANALYSIS BASED ON THE INSTITUTIONAL THEORY

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v13i1.3384

Palavras-chave:

Teoria Institucional., Organizações híbridas., Aeroportos brasileiros, Sociedades de propósito específico, Concessões

Resumo

Para administrar alguns aeroportos brasileiros, optou-se pelas Sociedades de Propósito Específico, forma de organização híbrida que reúne empresas de diferentes setores para gerenciar os terminais, junto à INFRAERO, impondo a participação de uma empresa pública no ajuste. Esse trabalho analisou o processo de formulação e funcionamento da concessão dos terminais e os contratos oriundos destas licitações, considerando os pressupostos da Teoria Institucional. Foi realizada uma pesquisa documental envolvendo os documentos de concessão dos aeroportos, reportagens sobre o tema e sites das organizações envolvidas. Considerando que se trata de um ajuste firmado por meio de contrato formal, encontram-se pontos oriundos dessa relação que se enquadram nas abordagens da Teoria Institucional, sobretudo, os riscos e oportunismos da perspectiva econômica e práticas isomórficas de desempenho, da vertente sociológica. Observa-se, ainda, o reforço da instituição da modernização e eficiência da administração pública, advinda do setor privado.

Palavras-Chave: Teoria Institucional. Organizações híbridas. Aeroportos brasileiros. Sociedades de propósito específico. Concessões.

 

Abstract: For management some Brazilian airports, the Special Purpose Companies were chosen, a form of hybrid organization that units companies from different sectors to manage the terminals, beside to INFRAERO, imposing the participation of a public company in the adjustment. This paper analyzed the process of elaboration and operation of the concession of the terminals and contracts related, considering the Institutional Theory assumptions. Documentary research was conducted involving the documents of concession, reports on the theme and websites of the organizations. Considering that this is an agreement signed by means of a contract, there are points from this relationship that fall within the approaches of the Institutional Theory, above all, the risks and opportunism of the economic perspective and isomorphic practices of performance, of the sociological aspect. It is also observed the intensification of the institution of modernization and efficiency of public administration.

Keywords: Institutional theory. Hybrid organizations. Brazilian airports. Special purpose companies. Concessions.

Biografia do Autor

Lílian Bambirra de Assis , Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Doutora em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora do CEFET-MG.

Uajará Pessoa Araújo, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo. Doutor em Administração pela Universidade Federal de Lavras. Professor do CEFET-MG.  

Bruno de Almeida Matos , Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Mestre em Administração pelo CEFET-MG.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL (ANAC). Aeroportos concedidos. 2021. Disponível em:<https://www.gov.br/anac/pt-br/assuntos/concessoes/aeroportos-concedidos>. Acesso em 06 dez. 2021.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL (ANAC). Anuário do Transporte Aéreo. 2023. Disponível em:<https://www.gov.br/anac/pt-br/assuntos/dados-e-estatisticas/mercado-do-transporte-aereo/panorama-do-mercado/anuario-transporte-aereo>. Acesso em 26 jan. 2024.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL (ANAC). Concessões de Aeroportos. 2024. Disponível em:<https://www.gov.br/anac/pt-br/assuntos/concessoes>. Acesso em 03 jan. 2024.

ALMEIDA, M., L. BRANDÃO, J. A. S.; COSTA, C. E. S. Implantação de Políticas de Resíduos Sólidos em Pernambuco: um estudo a partir da teoria institucional e das redes interorganizacionais. GEPROS. Gestão da Produção, Operações e Sistemas. Bauru, v.10, n. 3, p. 17-34, 2015. Disponível em:<http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros/article/view/1320/669>. Acesso em 12 maio 2017.

AMATO, F. Concessionárias de aeroportos pedem revisão de contratos devido a perdas com coronavírus. G1, 18 abr. 2020. Disponível em:<https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/04/18/concessionarias-de-aeroportos-pedem-revisao-de-contratos-devido-a-perdas-com-coronavirus>. Acesso em 06 dez. 2021.

ARBEX, T. N. Concessão deve melhorar gestão da Infraero, diz ministro. Gazeta do Povo, 01 jun. 2011. Disponível em:<https://www.gazetadopovo.com.br/economia/ concessao-deve-melhorar-gestao-da-infraero-diz-ministro-aqre8lmiccolx9y37gnptv9la/ampgp>. Acesso em 06 dez. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS AÉREAS (ABEAR). Panorama 2018: o setor aéreo em dados e análises. 2018. Disponível em:<https://www.abear.com.br/wp-content/uploads/2019/12/Panorama2018.pdf>. Acesso em 06 dez. 2021.

ASTIZ, M.F. Autonomía educativa en la Provincia de Buenos Aires, Argentina: comparación entre dos distritos escolares - una perspectiva neo-institucionalista. Revista Educação & Sociedade. Campinas, v. 36, n. 132, p. 647-673, 2015. Disponível em:<http://dx.doi.org/10.1590/ES0101-73302015152402>. Acesso em 24 jul. 2017.

BH AIRPORT. Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. BH Airport obtém na justiça o direito de pagar em juízo a outorga fixa anual referente a concessão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. 2017a. Disponível em: <http://www.bh-airport.com.br/ br/p/367/noticias.aspx>. Acesso em 05 jun. 2017.

BH AIRPORT. Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Nota à Imprensa: Decisão do Ministério dos Transportes e ANAC. 2017b. Disponível em: <http://www.bh-airport.com.br /br/p/368/noticias.aspx>. Acesso em 05 jun. 2017.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F.; SILVA, S. M. G. A trajetória conservadora da Teoria Institucional. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional. v. 10, n. especial, p. 469-496, jul./ago. 2005. Disponível em: <http://www.revista.ufpe.br/gestaoorg/ index.php/gestao/article/viewFile/531/250>. Acesso em: 16 maio 2017.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The Iron Cage Revisited: Institutional Isomorphism and Collective Rationality in Organizational Fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, p. 147-160, apr. 1983. Disponível em:

DOCA, G. Empresa que administra aeroporto de Natal entra com pedido para devolver concessão. O Globo, 03 mar. 2020. Disponível em:<https://oglobo.globo.com/economia/ empresa-que-administra-aeroporto-de-natal-entra-com-pedido-para-devolver-concessao-1-24288034>. Acesso em 06 dez. 2021.

GUERRA, G. C. M.; ICHIKAWA, E. Y. A institucionalização de representações sociais: uma proposta de Integração teórica. Revista de Gestão. v. 18, n. 3, p. 339-359, jul./set. 2011. Disponível em:<http://www.revistas.usp.br/rege/article/view/36742/39463>. Acesso em 13 maio 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Panorama e Perspectiva para o Transporte Aéreo no Brasil e no Mundo. Comunicados do IPEA nº 54: Brasília: IPEA, maio 2010. Disponível em:<http://www.v-brazil.com/world-cup/documents/ipea-airports.pdf>. Acesso em: 23 Maio 2016.

KOPPELL, J. G. S. The Politics of Quasi-Government: Hybrid Organizations and the Dynamics of Bureaucratic Control (Theories of Institutional Design). Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2003.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica: Técnicas de pesquisa. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LEVI, M.; MENALDO, V. A. The New Economic Institutionalism in Historical Perspective. In: GANDHI, J.; RUIZ-RUFINO, R. Routledge Handbook of Comparative Political Institutions. s.e. Londres: Routledge, 2014. cap. 2, p. 15-30. Disponível em:<https://ssrn.com/abstract =2435720>. Acesso em 25 jul. 2017.

MANZOLI, L. F. Após crise, Aeroporto de Viracopos pede relicitação de terminal. A Cidade On, Campinas, 19 mar. 2020. Disponível em:<https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/ cidades/NOT,0,0,%201493483,apos+crise+aeroporto+de+viracopos+pede+relicitacao+de+ terminal.aspx>. Acesso em 06 dez. 2021.

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institutionalized Organizations: Formal Structure as Myth and Ceremony. American Journal of Sociology. v. 83, n. 2, p. 340-363, sep. 1977. Disponível em: <https://gul.gu.se/public/pp/public_courses/course74425/published/1472848837805/ resourceId/34438112/content/UploadedResources/meyerandrowan77.pdf>. Acesso em 15 maio 2017.

MEZA, M. C. Violencia contra las mujeres rurales: una etnografía del Estado Peruano. s. e. Pontificia Universidad Católica del Perú: Lima, 2016. Disponível em: <http://repositorio.pucp.edu.pe/index/handle/123456789/69766>. Acesso em 24 jul. 2017.

MOE, R.C.; KOSAR, K. R. The quasi government: hybrid organizations with both government and private sector legal characteristics. CRS Report for Congress RL 30533. Congressional Research Service, The Library of Congress, 2005. Disponível em: <https://fas.org/sgp/crs/misc/RL30533.pdf>. Acesso em 13 maio 2017.

NORTH, D. C. Institutions, organizations and market competition. St. Louis: Washington University, 1996. Disponível em:<http://econwpa.wustl.edu/eps/eh/ papers/9612/9612005.pdf>. Acesso em 24 maio 2017.

PERETTI, J. L. G. ET AL. Organizações híbridas da Serra Gaúcha: uma análise empírica. Redes, v. 15, n. 1, p. 52-73, maio 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.17058/redes.v15i1.680>. Acesso em 13 maio 2017.

ROCHA, A.; ÁVILA, H. A. Teoria institucional e modos de entrada de multinacionais de países emergentes. Revista de Administração de Empresas, v. 55, n. 3, p.246-257, maio-jun. 2015. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rae/v55n3/0034-7590-rae-55-03-0246.pdf>. Acesso em 13 maio 2017.

SANTOS, P. M. F.; PORTO, R. F. A gestão ambiental como fonte de vantagem competitiva sustentável: contribuições da Visão Baseada em Recursos e da Teoria Institucional. Revista de Ciências da Administração. v. 15, n. 35, p. 152-167. abr. 2013. Disponível em:< https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-8077. 2013v15n35p152/24344>. Acesso em 13 maio 2017.

TAYLOR, S. J.; BOGDAN, R.; DEVAULT, M. L. Introduction to qualitative research methods: a guidebook and resource. 4. ed. New Jersey: Wiley, 2016.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A institucionalização da Teoria Institucional. In: STEWART, R. C. et al (org.). Handbook de Estudos Organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. v. 1. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

WILLIAMSON, O. E. Comparative economic organization: the analysis of discretestructural alternatives. Administrative Science Quartely, Ithaca, v. 36, p.269- 296, june 1991.

WOOD JR., T. Organizações híbridas. Revista de Administração de Empresas. v. 50, n. 2, p. 241-247, jun. 2010. Disponível em 13 maio 2017.

YOSIMOTO V. ET AL. A lógica atual do setor aeroportuário brasileiro. Revista do BNDES, n 45, p. 243-292 jun. 2016. Disponível em:<https://web.bndes.gov.br/bib/ jspui/handle/1408/9394>. Acesso em 13 maio 2017.

ZUBA, F. Árbitro de emergência' é convocado para tentar acordo de conflito entre Aeroporto Internacional de BH e Anac. G1 Belo Horizonte, 27 dez. 2023. Disponível em: <https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2023/12/27/arbitro-de-emergencia-e-convocado-para-tentar-acordo-de-divida-milionaria-do-aeroporto-internacional-de-bh.ghtml>. Acesso em 03 jan. 2024.

Downloads

Publicado

2024-01-29

Como Citar

BAMBIRRA DE ASSIS , L.; PESSOA ARAÚJO, U.; DE ALMEIDA MATOS , B.; DANIELA DE OLIVEIRA FONSECA, J. ORGANIZAÇÕES HÍBRIDAS NA CONCESSÃO DE AEROPORTOS BRASILEIROS: UMA ANÁLISE À LUZ DO INSTITUCIONALISMO: HYBRID ORGANIZATIONS IN THE CONCESSION OF BRAZILIAN AIRPORTS: AN ANALYSIS BASED ON THE INSTITUTIONAL THEORY. Revista Visão: Gestão Organizacional, Caçador (SC), Brasil, v. 13, n. 1, p. e3384-e3384, 2024. DOI: 10.33362/visao.v13i1.3384. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/visao/article/view/3384. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos