IMPLICAÇÕES NO AVANÇO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO SOB INFLUÊNCIA DO NEOLIBERALISMO

UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33362/ext.v11i1.3279

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Políticas Públicas em Educação, Agentes não-estatais, Implicações, Neoliberalismo

Resumo

Este estudo teve como objetivo geral compreender as implicações no avanço das políticas públicas de educação sob influência do neoliberalismo. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa com abordagem qualitativa, de natureza básica, com objetivo exploratório por meio de uma pesquisa bibliográfica. Para tal, realizou-se uma revisão bibliográfica (de seleção intencional) de seis trabalhos que tratam da influência neoliberal nas políticas públicas de educação e quais implicações educacionais esta desenvolve. Os achados mostram que os agentes não-estatais estão ganhando cada vez mais espaço na educação básica pública. Esses agentes fornecem todo tipo de serviço/ material para o sistema público. O intuito da ótica privada é o lucro, a manutenção do mercado de consumo e a manutenção do excelência sobre a marca e, com isso, salientamos o forte papel do estado na mediação e fiscalização deste processo. A não política de investimento em educação é a política de privatização da educação pública.

Biografia do Autor

Eliane Gatto, Universidade do Vale do Itajaí

Doutoranda em Educação pela Universidade do Vale do Itajaí. UNIVALI. https://orcid.org/0009-0004-9878-150X. gattoeliane@gmail.com.

Ana Claudia Delfini, Universidade do Vale do Itajaí

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. UNIVALI. https://orcid.org/0000-0002-7154-9020. anaclaudia.univali@gmail.com.

Referências

BALL, Stephen. Globalización, mercantilización y privatización: tendências internacionales en Educación y Política Educativa. Revista de Políticas Educativas, v. 22, n. 41, p. 1-17, 2014.

BALL, Stephen. Laboring to Relate: Neoliberalism, Embodied Policy, and Network Dynamics. PEABODY JOURNAL OF EDUCATION, v. 92, n. 1, p. 29-41, 2017.

FADUL, É. M. C. Redefinição de espaços e papéis na gestão de serviços públicos: fronteiras e funções da regulação social. Revista de Administração Contemporânea, v. 1, n. 1, p. 55–70, jan. 1997.

MOTTA, V. C. DA.; ANDRADE, M. C. P. DE. O empresariamento da educação de novo tipo e suas dimensões. Educação & Sociedade, v. 41, p. e224423, 2020.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Editora Atlas S.A. 2008.

HALL, P. A.; TAYLOR, R. C. R. As três versões do neo-institucionalismo. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 58, p. 193–223, 2003.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

PERONI, Vera Maria Vidal. Múltiplas formas de materialização do privado na Educação Básica Pública no Brasil: sujeitos e conteúdo da proposta. Currículo sem fronteiras, v. 18, n. 1, p. 212-238, jan./abr. 2018.

SANTOS, Marina Silveira Bonacazata; MOREIRA, Jani Alves da Silva. O financiamento e a gestão da EB: a relação entre o público e privado. Revista retratos da escola, v. 12, n. 23, p. 333-346, jul./ out. 2018.

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologia, Porto Alegre, ano 8, no 16, jul/dez 2006, p. 20-45.

UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Non-state actors in education: Who chooses? Who loses? 2ª ed. 2021.

Downloads

Publicado

2023-11-14

Como Citar

BAUMGÄRTNER, L.; GATTO, E.; DELFINI, A. C. IMPLICAÇÕES NO AVANÇO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO SOB INFLUÊNCIA DO NEOLIBERALISMO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Extensão em Foco (ISSN: 2317-9791), [S. l.], v. 11, n. 1, p. 98–112, 2023. DOI: 10.33362/ext.v11i1.3279. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/extensao/article/view/3279. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos