PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO AO PROFISSIONAL DE SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

Palavras-chave:

Terapias Complementares, Saúde do Trabalhador, Promoção da Saúde

Resumo

Os riscos psicossociais no ambiente de trabalho interferem diretamente na condição de saúde mental dos trabalhadores, e derivam, dentre outros fatores, da sobrecarga ou a baixa carga de trabalho, falta de controle sobre as atividades laborais, bem como altos níveis de pressão sobre o trabalhador. As Práticas Integrativas e Complementares podem ser consideradas uma nova estratégia de prevenção de tais riscos, pois representam um novo modelo de cuidado direcionado à promoção de saúde e à totalidade dos sujeitos enquanto ser biopsicossocial. Destarte, este estudo tem por objetivo apresentar um relato de experiência acerca do uso das Práticas Integrativas e Complementares como meio de promoção de saúde de profissionais de uma Unidade de Alta Complexidade em Oncologia de um hospital público da região serrana de Santa Catarina. Trata-se de relato oriundo da etapa de coleta de dados de uma pesquisa de Dissertação de Mestrado realizada no referido hospital. Durante a abordagem aos participantes da pesquisa, a pesquisadora realizou também diálogos breves com a equipe de profissionais, onde verificou demandas individuais que estes vivenciavam. A partir disso foram realizadas voluntariamente práticas de auriculoterapia e meditação guiada aos profissionais. Após aplicação das práticas, os profissionais relataram redução de suas queixas iniciais. Constatou-se a importância das intervenções realizadas, sendo o espaço de escuta e acolhimento um potencial meio de identificação e prevenção dos riscos psicossociais no ambiente laboral. Logo, compreende-se a necessidade de novas estratégias capazes de reduzir o sofrimento decorrente do trabalho, contribuindo para o desenvolvimento de um estado saudável como um todo.

Biografia do Autor

Daiane Linz da Silva de Jesus, Discente do Programa de Pós-graduação em Ambiente e Saúde da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC)

Psicóloga. Especialista em Saúde da Família e Comunidade pela Universidade do Planalto Catarinense

Bruna Fernanda da Silva, Docente do Programa de Pós-graduação em Ambiente e Saúde da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC)

Bióloga. Doutora em Biologia Geral e Aplicada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Botucatu

Natalia Veronez da Cunha Bellinati, Docente do Programa de Pós-graduação em Ambiente e Saúde da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC)

Fisioterapeuta. Doutora em Fisiologia pela Universidade Estadual de Londrina

Referências

BENDASSOLLI, Pedro Fernando. Mal estar no trabalho: do sofrimento ao poder de agir. Revista Mal Estar e Subjetividade, v. 11, n. 1, p. 65-99, 2011. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482011000100004> Acesso em 10 abr. 2021.

CAMELO, Silvia Helena Henriques et al. Riscos psicossociais em equipes de saúde da família: carga, ritmo e esquema de trabalho. Rev. enferm. UERJ, v. 20, n. 2, n. esp, p. 733-738, 2012. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/5990> Acesso em 10 abr. 2021.

CAMELO, Silvia Helena Henriques et al. Trabalhador de saúde: formas de adoecimento e estratégias de promoção à saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN, v. 1982, p. 4785, 2014. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Alessandra_Garcia2/publication/268213062_Health_worker_illness_and_strategies_to_promote_health/links/5464b10c0cf2c0c6aec755e1.pdf> Acesso em: 12 abr. 2021.

NASCIMENTO, Maria Valquíria Nogueira do; OLIVEIRA, Isabel Fernandes de. As práticas integrativas e complementares grupais e sua inserção nos serviços de saúde da atenção básica. Estud. psicol. (Natal), Natal, v. 21, n. 3, p. 272-281, Set. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-294X2016000300272&script=sci_abstract&tlng=pt> Acesso em: 10 abr. 2021.

NETO, Hernâni Veloso. Estratégias organizacionais de gestão e intervenção sobre riscos psicossociais do trabalho. International Journal on Working Conditions-Ricot, v. 9, p. 1-21, 2015. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/280287225_Estrategias_organizacionais_de_gestao_e_intervencao_sobre_riscos_psicossociais_do_trabalho> Acesso em: 10 abr. 2021.

RUIZ, Valéria Salek; ARAUJO, André Luis Lima de. Saúde e segurança e a subjetividade no trabalho: os riscos psicossociais. Rev. Bras. Saúde Ocup., São Paulo, v. 37, n. 125, p. 170-180, 2012. Disponível em: <http://ftp.medicina.ufmg.br/osat/artigos/2014/Saude_e_seguranca_e_a_subjetividade_no_trabalho_14052014.pdf> Acesso em: 09 abr. 2021.

SERAFIM, Alessandra da Cruz et al. Riscos psicossociais e incapacidade do servidor público: um estudo de caso. Psicol. ciênc. prof, p. 686-705, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pcp/v32n3/v32n3a13.pdf> Acesso em: 12 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Edição

Seção

VI Simposio Internacional, Ciência, Saúde e Território