USO E CONHECIMENTO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS PELOS CIRURGIÕES-DENTISTAS DAS REDES PÚBLICA E PRIVADA

Autores

  • Barbara Koch UNIPLAC
  • Ana Emilia Siegloch UNIPLAC
  • Lenita Agostinetto

Resumo

O uso do plano de gerenciamento de resíduos é obrigatório desde 2004 devendo ser adotado em todos os estabelecimentos que produzem resíduos, uma vez que, o descarte inadequado pode se configurar em potencial risco à saúde pública e ao meio ambiente. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o uso e o conhecimento do plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde pelos cirurgiões-dentistas que atuam nas redes pública e privada. O estudo foi desenvolvido com profissionais cirurgiões-dentistas das redes pública e privada atuantes em dois municípios catarinenses. Foram investigados 48 cirurgiões dentistas que possuíam cadastro regulamentado pela vigilância sanitária. A coleta de dados foi feita por intermédio da aplicação de um questionário online que continha perguntas referente ao uso, no seu ambiente de trabalho, do plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde e também sobre o conhecimento do plano pelos cirurgiões dentistas. A coleta de dados foi realizada entre os meses de dezembro de 2020 a março de 2021. De modo geral observou-se que a maioria dos cirurgiões dentistas utilizam o plano de gerenciamento de resíduos (83,33%), entretanto, uma boa parte (47,92%) desconhecem o plano, principalmente os profissionais da rede pública e os que atuam em ambos os setores, público e privado. Portanto, é notório que apesar da obrigatoriedade do uso do plano há 17 anos, ainda muitos profissionais o desconhecem e alguns ainda não o utilizam, fato que pode contribuir com o processo de contaminação humana e ambiental.

Biografia do Autor

Barbara Koch, UNIPLAC

Dentista, Mestranda em Ambiente e Saúde; Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC.

Ana Emilia Siegloch, UNIPLAC

Bióloga e Doutora em Entomologia; Docente do Programa de Pós Graduação em Ambiente e Saúde da Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC

Referências

ALVES, S. B. et al. The reality of waste management in primary health care units in Brazil. Waste Management & Research, [s. l.], v. 32, n. 9, p.40-47, jul. 2014.

GARBIN, A. J. Í. et al. A Responsabilidade Socioambiental na Formação Acadêmica. Mundo da Saúde, v. 39, n. 1, p. 119-125, 2015.

MAHLER, C. F.; MOURA, L. de L. Resíduos de Serviços de Saúde (RSS): Uma abordagem qualitativa. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, Porto, n. 23, p. 46-60, set. 2017.

MOREIRA A. M. M.; GÜNTHER W. M. R. Assessment of medical waste management at a primary health-care center in São Paulo, Brazil. Waste Management, [s. l.], v. 33, n. 1, p. 162-167, jan. 2013.

NABIZADEH, R.; FARAJI, H.; MOHAMMADI, A. A. Solid waste production and its management in dental clinics in Gorgan, Northern Iran. International Journal of Occupational and Environmental Medicine, v. 5, n. 4, p. 216-221, out. 2014.

SILVA, C. A. M. da C. et al. Caracterização microbiológica de lixiviados gerados por resíduos sólidos domiciliares e de serviços de saúde da cidade do Rio de Janeiro. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 16, n. 2, p. 127-132, jun. 2011.

VICTORELLI, G. et al. Impact of pedagogical method on brazilian dental students’ waste management practice. Journal of Dental Education, [s. l.], v. 78, n. 11, p. 1528-1533, nov. 2014.

Downloads

Publicado

2021-11-23

Edição

Seção

Estudos Interdisciplinares em Saúde