A TEORIA TRIDIMENSIONAL DO DIREITO DE MIGUEL REALE E SUAS POSSÍVEIS CONVERGÊNCIAS DO JUSNATURALISMO DE TOMÁS DE AQUINO E DO JUSPOSITIVISMO DE HANS KELSEN

Autores

Palavras-chave:

Jusnaturalismo. Juspositivismo. Teoria Tridimensional do Direito.

Resumo

Este artigo tem como objetivo explicitar na Teoria Tridimensional de Miguel Reale e as possíveis convergências no pensamento jusnaturalista de Tomás de Aquino e juspositivista de Hans Kelsen. Através da pesquisa bibliográfica, foi exposto o pensamento jurídico de Tomás de Aquino (1225-1274), que se baseava no direito natural, isto é, de regras estabelecidas a partir das qualidades fixas da natureza em vista do bem comum. Assim sendo, Tomás de Aquino estabelece quatro tipos de leis como fundamento do direito, a saber, a Lei Eterna, Lei Natural, Lei Humana e a Lei Divina. Por sua vez, Hans Kelsen (1881-1973), admitia um direito baseado apenas na normatividade. Acreditava que, o direito é uma ordem da conduta humana, ou seja, um conjunto de normas, detentor de um único fundamento da validade, a norma fundamental. Para que isto seja pleno, Kelsen, cria um sistema puro, isto é, livre de qualquer meio externo à própria norma que regule os indivíduos. Miguel Reale (1906-2006), estabelece uma teoria tridimensional do direito, onde, fato, valor e norma estão presentes e correlacionados dinamicamente em qualquer expressão da vida jurídica. Portanto, um fenômeno jurídico decorre de um fato social recebendo inevitavelmente uma carga de valoração humana antes de se tornar norma. Com isso, constatou-se que há vários pontos de aproximação do pensamento jurídico de Reale com Tomás de Aquino, tais como o ordenamento para o bem comum, e com o pensamento de Hans Kelsen, a respeito da consideração da norma, como criação humana, participante do ordenamento jurídico.

 

Biografia do Autor

Leonardo Augusto Oliveira Xavier, Professor de Ensino Religioso da rede municipal de educação de Timbó Grande (SC) e coordenador do Polo EaD da UNIARP (Timbó Grande). Graduado em Filosofia pela Faculdade São Luiz, de Brusque-SC.

http://lattes.cnpq.br/3887983534619936

José Francisco dos Santos, Faculdade São Luiz, de Brusque-SC Lattes: http://lattes.cnpq.br/2429910588253840

Atualmente é professor da Faculdade São Luiz - FSL, Faculdade Sinergia e Centro Universitário de Brusque - Unifebe. Tem experiência nas área de Filosofia e Educação, com ênfase em Filosofia e Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, ética, ciência política, filosofia jurídica, hermenêutica, sociologia geral, sociologia da educação, sociologia jurídica.

Joel Cezar Bonin, Uniarp, Caçador, SC

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5599831923296454

Referências

BARBUY, Victor Emanuel Vilela. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Aspectos do direito na obra de Santo Tomás de Aquino. São Paulo: USP, v. 106/107, p. 631-651, dez/jan. 2011/2012.

BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. Trad. Márcio Pugliesi, Edson Bini, Carlos E. Rodrigues. São Paulo: Ícone, 1995.

BOEHNER, Philotheus; GILSON, Etienne. História da Filosofia Cristã. Tradução de Raimundo Vier. 9ºed. Petrópolis: Vozes, 1988.

CABRAL MONTEIRO, Maria do Carmo. Moral e direito em Tomás de Aquino. 2006. 68 f. Trabalho Científico apresentado para obtenção de grau [Licenciatura] – Departamento de história e Filosofia, Instituto Superior de Educação - ISE- [s. n.], 2006, p. 50 et seq.

IGREJA CATÓLICA, CATECISMO Disponível em: http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s1c2_50-141_po.html Acesso em 06/05/2020

KELSEN, Hans. O que é justiça? A Justiça, o Direito e a Política no espelho da ciência. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

____________. Teoria Pura do Direito. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes. 1994.

____________. Teoria Pura do Direito. 6. Ed. Trad. João Baptista Machado. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LOPES, Antonio. Teoria Crítica em Roberto Lyra Filho, uma aproximação dialética e pluralista. 2008, 204 f. Dissertação [Mestrado em Direito]. Centro de Ciências Jurídicas, UFSC, Florianópolis, 2008.

MARISCO, Nelson Nemo Franchini. Teoria da Justiça de John Finis análise em face da tradição aristotélico-tomista. Dissertação [Mestrado em Direito], Faculdade de Direito, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

MARTINS, Alexandre Marques da Silva. Valores em Miguel Reale. Revista de Informação Legislativa. v. 45, n. 180, p. 263-277, out./dez. 2008. Disponivel em: <http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/176575>. Acesso em: 16.out.2015, p. 276.

MORRISON, Wayne. Filosofia do direito: dos gregos ao pós-modernismo. Trad. Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

NASCIMENTO, Silvio Firmo do. A importância da teoria tridimensional do direito e sua aplicabilidade nos cursos de direito: um estudo bibliográfico sobre Miguel Reale no período de 1986 a 2006. São João Del Rei: IPTAN, 2008.

NUNES, Claúdio Pedrosa. Uma Reflexão Conceitual-Jurídico-Cristã de Justiça em Tomás de Aquino. 2011. 622 f. Dissertação [Doutorado em Direito] – Faculdade de Direito, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2011.

OLIVA, Liana Brandão. O direito e a moral com enfoque nas perspectivas de Hans Kelsen e Ronald Dworkin. 2011. 18 f. Artigo de Conclusão da Matéria Teoria Geral do Direito [Pós-Graduação] – Programa de Pós-Graduação em Direito, Faculdade de Direito, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

PEDROSO, Greici Inticher. A Análise de Kelsen e Bobbio das Distinções Kantiana Entre Direito e Moral. 2007. 110 f. Dissertação [Mestrado em Filosofia]. Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

REALE, Miguel. Direito Natural e Direito Positivo. São Paulo: Saraiva, 1984.

____________. Teoria do Direito e do Estado. 3. ed. São Paulo: Martins Editora, 1970.

____________. Teoria tridimensional do direito: situação atual. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 1994.

____________. Filosofia do Direito. 19. ed. São Paulo: Saraiva, 1999.

____________. Lições Preliminares do Direito. 25. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

RODRIGUES, Francisco Hudson Pereira. Direito Natural X Direito Positivo. 2007. 51 f. . Monografia apresentada como requisito parcial para obtenção de título [Especialista] – Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará, Universidade Estadual Vale do Acaraú, Fortaleza, 2007, p. 15.

SABADELL, Ana Lúcia. Manual de Sociologia Jurídica: Introdução a uma leitura externa do Direito. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002, p. 26.

TOMÁS DE AQUINO, Suma Teológica. São Paulo: Loyola, 2005, v.4.

Downloads

Publicado

2021-02-22

Como Citar

XAVIER, L. A. O.; DOS SANTOS, J. F.; BONIN, J. C. A TEORIA TRIDIMENSIONAL DO DIREITO DE MIGUEL REALE E SUAS POSSÍVEIS CONVERGÊNCIAS DO JUSNATURALISMO DE TOMÁS DE AQUINO E DO JUSPOSITIVISMO DE HANS KELSEN. Ponto de Vista Jurídico, Caçador (SC), Brasil, v. 9, n. 2, p. 117 - 136, 2021. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/juridico/article/view/2265. Acesso em: 8 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos