UMA ANÁLISE DO DEPOIMENTO ESPECIAL E DA ESCUTA ESPECIALIZADA COMO MECANISMOS DE PRESERVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL

AN ANALYSIS OF SPECIAL TESTIMONY AND SPECIALIZED LISTENING AS A MECHANISM FOR THE PRESERVATION OF CHILDREN AND ADOLESCENTS VICTIMS OF SEXUAL VIOLENCE

Autores

  • Vanessa Steigleder Neubauer Unicruz
  • Ângela Simone Pires Keitel
  • Ana Carla Seibel Maciel

DOI:

https://doi.org/10.33362/juridico.v10i01.2472

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo analisar as implicações da Lei 13.431 de 2017 que estabelece algumas garantias de direitos da criança e do adolescente, vítima ou testemunha de violência e altera o Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. O problema de pesquisa exposto consiste em analisar a técnica do depoimento pessoal, método alternativo de inquirição de vítimas de abuso sexual, cumprindo a função para a qual foi criado, ou seja, evitar a revitimização de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual intrafamiliar. Para atingir os propósitos do estudo, inicialmente, na primeira seção, foi feita uma abordagem geral dos direitos das crianças e dos adolescentes e as principais legislações para sua proteção. Em seguida, na segunda seção trata de uma abordagem sobre os tipos de violência e na última seção faz uma pesquisa acerca do estudo específico da escuta especializada e do depoimento especial, trazendo as principais mudanças da legislação nesse sentido e analisando os possíveis benefícios desses instrumentos para as vítimas de abuso sexual. Como resultado deste trabalho foi possível verificar que a criação dos novos mecanismos de oitiva tem por objetivo central proteger os infantojuvenil se evitar uma possível revitimização através da aplicação da escuta especializada e do depoimento especial.

PALAVRAS CHAVE: Abuso Sexual. Depoimento Especial. Infantojuvenil. Revitimização. Violência.

ABSTRACT

This study aimed to analyze the implications of Law 13.431 of 2017, which establishes certain guarantees of the rights of children and adolescents, victims or witnesses of violence and amends the Statute of Children and Adolescents, Law 8.069, of July 13.1990. The research problem exposed consists in analyzing the technique of personal testimony, an alternative method of interrogating victims of sexual abuse, fulfilling the function for which it was created, that is, avoiding the re-victimization of children and adolescents victims of intrafamily sexual abuse. To achieve the purposes of the study, initially, in the first section, a general approach was made on the rights of children and adolescents and the main legislation for their protection. Then, in the second section it deals with an approach on the types of violence and in the last section it does a research about the specific study of specialized listening and the special testimony, bringing the main changes of the legislation in this sense and analyzing the possible benefits of these instruments for victims of sexual abuse. As a result of this work, it was possible to verify that the creation of the new hearing mechanisms has the central objective of protecting children and youths and avoiding a possible revictimization through the application of specialized listening and special testimony.

Keywords: Sexual abuse. Special testimony. Children and Youth. Revitimization. Violence.

Biografia do Autor

Vanessa Steigleder Neubauer, Unicruz

Doutora em Filosofia pela UNISINOS, Docente da Universidade de Cruz Alta. Email: vneubauer@unicruz.edu.br

Ângela Simone Pires Keitel

Orientadora da pesquisa. Professora do Curso de Graduação em Direito da Universidade de Cruz Alta – Unicruz, Crus Alta, RS. Mestre em Direito pela URI, Santo Ângelo. Graduada em Direito pela Universidade de Cruz Alta. E-mail: angelakeitel@unicruz.edu.br.

Ana Carla Seibel Maciel

Acadêmica do curso de Direito da Universidade de Cruz Alta – Unicruz, Cruz Alta, RS. E-mail: anacarlaseibelmaciel84@gmail.com.

Referências

BARROS, Larissa Suassuna Carvalho. A Doutrina da proteção integral e sua gênese. Conteúdo Jurídico, Brasília, DF, mar. 2014. Disponível em: https://conteudojuridico.com.br/consulta/Art.s/38735/a-doutrina-da-protecao-integral-e-sua-genese#:~:text=Em%201899%2C%20os%20Estados%20Unidos,Juizado%20de%20Menores%20do%20pa%C3%ADs. Acesso em: 17 maio 2020.

BORGES, Gláucia; SOUZA, Ismael Francisco de. A escuta qualificada e o depoimento especial: desafios da Lei nº 13.431/17 na busca da não revitimização de crianças e adolescentes. In: Seminário Internacional de Demandas Sociais e Políticas Públicas na Sociedade Contemporânea, 15., 2018, Santa Cruz do Sul. Anais [...]. Santa Cruz do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2018.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 19 set. 2019.

BRASIL. Decreto Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Código Penal. Rio de Janeiro: Presidência da República, [1940]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm. Acesso em: 09 nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.431, de 4 de abril de 2017. Estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência e altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Brasília, DF, 4 de abril de 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13431.htm. Acesso em: 29 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF: Presidência da República, [1990]. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 15 mai. 2020.

CAMÕES, Cristina. Violência Sexual em Menores. Psicologia: o portal dos psicólogos, [s. l], 2005. Disponível em: http://www.psicologia.pt/art.s/textos/A0245.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

CAMPOREZ, Patrik. Ministério dos Direitos Humanos conclui que quase 90% da violência sexual contra crianças acontece no ambiente familiar: Mais de 70% das vítimas são mulheres, de acordo com levantamento baseado em denúncias feito ao Disque 100. O Globo, Sociedade, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/ministerio-dos-direitos-humanos-conclui-que-quase-90-daviolencia-sexual-contra-criancas-acontece-no-ambiente-familiar-23665391. Acesso em: 15 abr. 2020.

CAMPOS, Lorraine Vilela. Abuso Sexual. Mundo Educação, Goiânia, 2010. Disponível em: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/sexualidade/abuso-sexual.htm. Acesso em: 11 nov. 2019.

CARREIRÃO, Elizabeth Callado De Oliveira. O adolescente e o atendimento Publico de saúde: as mudanças com o advento do Estatuto da Criança e do Adolescente. 2002. 129 f. Mestrado (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

CHILDHOOD BRASIL. Tipos de abuso sexual de crianças e adolescentes: Abuso sexual pode acontecer com ou sem contato físico. São Paulo: Childhood Brasil, set. 2018. Disponível em: Disponível em: https://www.childhood.org.br/tipos-de-abuso-sexual-de-criancas-eadolescentes. Acesso em: 19 maio 2020.

COELHO, Tatiana. Maioria dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes ocorre em casa; notificações aumentaram 83%: Dados do Ministério da Saúde entre 2011 e 2017 revelaram perfil das vítimas e dos agressores. Casos continuam subnotificados. G1, Ciência e Saúde, jun. 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/maioria-dos-casos-de-violencia-sexual-contracriancas-e-adolescentes-ocorre-em-casa-notificacao-aumentou-83.ghtml. Acesso em: 10 nov. 2019.

DANTAS SEGUNDO, Evaldo. Redução da idade penal em face da Constituição Federal: Apontamentos jurídicos acerca das tentativas de redução da idade para imputação criminal do menor de 18 anos. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 14, n. 2373, dez. 2009. Disponível em: https://jus.com.br/art.s/14105. Acesso em: 17 maio 2020.

DELFINO, Morgana. O princípio do melhor interesse da criança e o direito à convivência familiar: os efeitos negativos da ruptura dos vínculos conjugais. Monografia (Bacharelado em Direito) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: http://www3.pucrs.br/pucrs/files/uni/poa/direito/graduacao/tcc/tcc2/trabalhos2009_1/morgana _delfino.pdf. Acesso: 20 set. 2016.

DIGIÁCOMO, Murillo José; DIGIÁCOMO, Eduardo. Comentários à Lei nº 13.431/2017. Curitiba: Ministério Público do Estado do Paraná, 2018. Disponível em: http://www.crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/caopca/lei_13431_comentada_jun2018.pd f. Acesso em: 20 nov. 2019.

FACURI, Cláudia de Oliveira et al. Violência sexual: um estudo descritivo sobre as vítimas e o atendimento em um serviço universitário de referência no Estado de São Paulo. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 29, n. 5, p. 889-898, maio, 2013. Disponível em: https://assetscompromissoeatitudeipg.sfo2.digitaloceanspaces.com/2013/11/CLAUDIAFACURIETAL_CAISM2013_art.viol enciasexual.pdf. Acesso em: 11 nov. 2019.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA - UNICEF. História dos direitos da criança: Os padrões internacionais avançaram radicalmente ao longo do século passado – conheça alguns marcos na história desses direitos no Brasil e no mundo. Brasília, DF: UNICEF, [21--?]a. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/historia-dos-direitos-da-crianca. Acesso em: 18 maio 2020.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA - UNICEF. O que é o UNICEF. Brasília, DF: UNICEF, [21--?]b. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/perguntas-frequentes. Acesso em: 20 maio 2020.

GADOTTI, Moacir. ECA - avanços e desafios. In: VIEIRA, Ana Luisa; PINI, Francisca; ABREU, Janaina (org.). Salvar o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2015.

GOMES, Luiz Flávio; DONATI, Patrícia; FERNANDES, Danilo. Conjunção carnal sem violência com adolescente de catorze anos de idade: atipicidade. Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes, 2009. Disponível em: http://www.lfg.com.br04 junho. Acesso em: 05 nov. 2019.

HABIGZANG, Luísa Fernanda et al. Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: aspectos observados em processos jurídicos. São Paulo: Psicologia, Teoria e Pesquisa, 2005.

HOMEM, Élie Peixoto. Depoimento sem dano e o melhor interesse da criança: O Depoimento Sem Dano sob a ótica do princípio do melhor interesse da criança e sua importância para o processo penal. Paraná: MPPR, 2015. Disponível em: http://www.crianca.mppr.mp.br/pagina-2231.html. Acesso em: 15 maio 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO DE FAMILIA - IBDFAM. Decreto que estabelece procedimentos para escuta de crianças e adolescentes é promulgado. IBDFAM, 2018. Disponível em: http://www.ibdfam.org.br/noticias/6837/+Decreto+que+estabelece+procedimentos+para+ escuta+de+crian%C3%A7as+e+adolescentes+%C3%A9+promulgado. Aceso em: 20 nov. 2019.

ISHIDA, Válter Kenji. Estatuto da Criança e do Adolescente: Doutrina e Jurisprudência. 16. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

JENSEN, Simone Cristina. Os Documentos Internacionais Sobre os Direitos das Crianças e dos Adolescentes. Jornal de Relações Internacionais, Curitiba, mar. 2018. Disponível em: https://jornalri.com.br/art.s/os-documentos-internacionais-sobre-os-direitos-das-criancas-e-dos-adolescentes. Acesso em: 15 maio 2020.

JEREZ, Daniela Malheiros et al. O direito à proteção integral das crianças e dos adolescentes no contexto de grandes empreendimentos: papéis e responsabilidades das empresas. Direito GV, 2013. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/18797/GDHeE_Jerez%3B%20 Almeida%3B%20Scabin%3B%20Neiva%3B%20Poppovic%3B%20Vieira%3B%20Brezighe llo.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 06 jun. 2019.

LOPES JUNIOR, Aury. Direito Processual Penal. São Paulo: Saraiva, 2016.

LOPES, Aury; ROSA, Alexandre Morais. Depoimento Especial é antiético e pode levar a erros judiciais. Revista Consultor Jurídico, São Paulo, 23 de janeiro de 2015. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2015-jan-23/limite-penal-depoimento-especial-antieticolevar-erros-judiciais. Acesso em: 12 nov. 2019.

MASELLA, Marcio Alexandre. A inclusão do adolescente autor de ato Infracional e a rede de proteção: um olhar interdisciplinar. 2014. 108 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São, São Paulo, 2014. Disponível em: http://www4.pucsp.br/gepi/downloads/TESES_CONCLUIDAS/2014-TESE-MARCIO%20MASELLA.pdf. Acesso em: 10 nov. 2019.

MATOS, Murilo Castro de. Nota técnica sobre a “escuta especializada” proposta pela Lei 13.431/2017: questões para o Serviço Social. Conselho Federal de Serviço Social, Brasília, DF, [21--]. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/Nota-tecnica-escuta-especial2019.pdf. Acesso em: 11 nov. 2019.

MINAYO, Maria Cecilia de Souza. O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 1994.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. OMS aborda consequências da violência sexual para saúde das mulheres. 2018. Disponível em: https://nacoesunidas.org/oms-aborda-consequencias-da-violencia-sexual-para-saude-dasmulheres/. Acesso em: 09 nov. 2019.

PARANÁ. Ministério Público do Estado do Paraná. Estatísticas: Três crianças ou adolescentes são abusadas sexualmente no Brasil a cada hora. Paraná: MPRP, mar. 2020. Disponível em: http://www.crianca.mppr.mp.br/2020/03/231/ESTATISTICAS-Tres-criancas-ou-adolescentessao-abusadas-sexualmente-no-Brasil-a-cada-hora.html. Acesso em: 27 maio 2020.

PELISOLI, Cátula; DOBKE, Veleda; DELL’AGLIO, Débora Dalbosco. Depoimento Especial: Para Além do Embate e pela Proteção das Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 22, n. 1, 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v22n1/v22n1a03.pdf. Acesso em: 19 set. 2019.

PERIUS, Giovanna Helena Monteiro Ferraz Morais; BARBOSA, Igor de Andrade. A oitiva do menor de idade, conforme a lei 13.431/17 e a sua possível contribuição para a redução das falsas memórias em crimes que não deixam vestígios. Vertentes do Direito, Palmas, TO, v. 6, n. 1, 2019. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/direito/article/view/6649/15303. Acesso em: 18 nov. 2019.

PINHEIRO, Luciana de Araújo. O “magistrado paternal”: o Juiz Mello Mattos e a assistência e proteção à infância (1924-1933). 2014. 231 f. Tese (Doutorado em História das Ciências e da Saúde) – Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/17808. Acesso em: 19 maio 2020.

PINI, Lívia Graziela. Depoimento de jovem vítima de crime exige atenção e cuidados especiais. Revista Consultor Jurídico, São Paulo, fev. 2018. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2018-fev-18/livia-pini-sadsddssdsd. Acesso em: 19 set. 2019.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Saúde. Centro Estadual de Vigilância em Saúde - CEVS. Tipologia da Violência. Porto Alegre: Secretaria de Saúde, 2019. Disponível em: https://www.cevs.rs.gov.br/tipologia-da-violencia. Acesso em: 20 maio 2020.

RIO GRANDE DO SUL. Tribunal de Justiça (6. Câmara Criminal). Apelação Criminal Nº 70082593799. Apelação criminal. Ação cautelar de produção antecipada de prova. Recurso ministerial que visa à coleta cautelar antecipada do depoimento de criança tida como vítima de violência sexual, por intermédio do "projeto depoimento sem dano". Aplicação da Lei 13.431/2017. A Lei nº 13.431/2017. Relator: Vanderlei Teresina Tremeia Kubiak, Porto Alegre, 24 de setembro de 2019. Disponível em: http://www.tjrs.jus.br/site/buscasolr/index.html?aba=jurisprudencia. Acesso em: 12 nov. 2019.

RIO GRANDE DO SUL. Tribunal de Justiça (8. Câmara). Agravo de Instrumento Nº 70081065864. Agravo de instrumento. Ação de alteração de guarda. Pleito de oitiva da infante através da técnica do depoimento especial. Cabimento. Decisão reformada. Agravante: F.C.C. Relator: José Antônio Daltoé Cezar, 12 de junho de 2019). Disponível em: https://www.tjrs.jus.br/buscas/jurisprudencia/exibe_html.php. Acesso em: 12 nov. 2019.

ROSEMBERG, Fúlvia; MARIANO, Carmem Lúcia Sussel. A convenção internacional sobre os direitos da criança: debates e tensões. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n.141, Dec. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742010000300003. Acesso em: 10 maio 2020.

SANTOS, Adriana Ribeiro dos; COIMBRA, José César. O Depoimento Judicial de Crianças e Adolescentes entre Apoio e Inquirição. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, DF, v. 37, n. 3, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-3703004032016. Acesso em: 29 jan. 2020.

SANTOS, Benedito Rodrigues et al. Escuta de Crianças e Adolescentes em situação de violência sexual. ChildHood, São Paulo, 2014. Disponível em: http://childhood.org.br/publicação. Acesso em: 11 nov. 2019.

SANTOS, Clilton Guimarães dos. O Estatuto da Criança e do Adolescente e o Ministério Público. In: VIEIRA, Ana Luisa; PINI, Francisca; ABREU, Janaina (org.). Salvar o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2015.

SILVA, Bárbara Silvana Silveira da. A importância do depoimento especial como método eficaz de inquirição de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual. 2018. 67 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/174673/001061531.pdf?sequence=1. Acesso em: 12 out. 2019.

SILVA, Lygia Maria Pereira da; et. al. A escuta de crianças e adolescentes nos processos de crimes sexuais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 8, p. 2285-2294, 2013. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2013.v18n8/2285-2294/pt. Acesso em: 29 jan. 2020.

SILVA, Rosane Leal da. A proteção integral dos adolescentes internautas: limites e possibilidades em face dos riscos no ciberespaço. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009. Disponível em: http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/tese_a_protecao_integral.pdf. Acesso em: 06 jun. 2019.

SOUZA, Jane. Princípio do melhor interesse da criança e do adolescente aplicado ao direito de família. Conteúdo Jurídico, Brasília, DF, jul. 2020. Disponível em: https://conteudojuridico.com.br/consulta/Art.s/24271/principio-do-melhor-interesse-da-crianca-e-do-adolescente-aplicado-ao-direito-de-familia. Acesso em: 17 maio 2020.

TAVARES, José de Farias. Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA. Manual de Normalização de Trabalhos Acadêmicos da Universidade de Cruz Alta – UNICRUZ. 6. ed. rev. e atual. Cruz Alta: Unicruz - Centro Gráfico, 2020.

VENÂNCIO, Renato Pinto. Marcílio, Maria Luiza. História Social da Criança Abandonada. Revista Brasileira de História, São Paulo, v.19, n. 37, Set. 1999.

VIEIRA, Ana Luisa; PINI, Francisca; ABREU, Janaina. Salvar o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2015.

WESTIN, Ricardo. Crianças iam para a cadeia no Brasil até a década de 1920. Agência Senado, Brasília, DF, jul. 2015. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2015/07/07/criancas-iam-para-a-cadeia-no-brasil-ate-a-decada-de-1920. Acesso em: 17 maio 2020.

ZAPATER, Maíra. As duas infâncias do Código de Menores de 1979. Justificando, [s. l.], fev. 2018. Disponível em: http://www.justificando.com/2018/02/16/as-duas-infancias-do-codigo-de-menores-de-1979/. Acesso em: 15 maio 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-02

Como Citar

STEIGLEDER NEUBAUER, V.; PIRES KEITEL, Ângela S.; SEIBEL MACIEL, A. C. . UMA ANÁLISE DO DEPOIMENTO ESPECIAL E DA ESCUTA ESPECIALIZADA COMO MECANISMOS DE PRESERVAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL: AN ANALYSIS OF SPECIAL TESTIMONY AND SPECIALIZED LISTENING AS A MECHANISM FOR THE PRESERVATION OF CHILDREN AND ADOLESCENTS VICTIMS OF SEXUAL VIOLENCE. Ponto de Vista Jurídico, Caçador (SC), Brasil, v. 10, n. 01, p. 47-78, 2021. DOI: 10.33362/juridico.v10i01.2472. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/juridico/article/view/2472. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos