PERSPECTIVAS DO COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO ENTRE OS DOCENTES PARA VIABILIZAR A METODOLOGIA ATIVA

Autores

  • Meline Vitali Duminelli Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Criciúma
  • Karoline Brasil de Oliveira Ezequiel Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Criciúma
  • Cristina Keiko Yamaguchi Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v7i2.1331

Palavras-chave:

Metodologias ativas. Compartilhamento do conhecimento. Aprendizagem.

Resumo

Alguns docentes insatisfeitos com a abordagem de ensino tradicional no ensino superior, buscam alternativas para inovar no processo de ensino e aprendizagem, e dentre as técnicas existentes, destaca-se a metodologia ativa. Esse estudo buscou compreender as práticas de compartilhamento do conhecimento entre os docentes que aplicam a técnica de metodologia ativa na educação superior. Os procedimentos metodológicos adotados foram: pesquisa de caráter interdisciplinar e quanto aos fins de investigação: descritiva e exploratória. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista com quatro professoras que estudam e aplicam a metodologia ativa. Percebeu-se que adotando a técnica de metodologia ativa, ocorre maior interação entre professores e alunos, promove o compartilhamento do conhecimento com os professores durante o planejamento das aulas e na instituição durante as capacitações docentes, quando o tema abordado trata das diferentes técnicas e modelos de ensino a serem praticados na sala de aula.

Palavras-Chave: Metodologias ativas. Compartilhamento do conhecimento. Aprendizagem.

 

Perspectives of Knowledge Sharing Between Teachers to Viabilize Active Methodology

Abstract: Some teachers dissatisfied with the traditional teaching approach, seek alternatives to innovate within the classroom, and highlights here the active methodologies. This study sought to understand the practices of knowledge sharing among teachers who apply the techniques of active methodologies in higher education. This interdisciplinary research was used for the purposes of descriptive and exploratory research. Data collection took place through a focus group interview, with four teachers who study and apply the active methodologies. It was noticed that adopting the techniques of active methodologies, there was a greater interaction between teachers and students, as well as, it was evidenced that the active methodologies promote the sharing of knowledge with other teachers in the moments of class planning and within the institutions when they offer training on the different techniques and teaching models that can be practiced in classrooms.

Keywords: Active methodologies. Sharing knowledge. Learning.

Biografia do Autor

Meline Vitali Duminelli, Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Criciúma

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico - PPGDS, Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC

Karoline Brasil de Oliveira Ezequiel, Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Criciúma

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico - PPGDS, Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC

Cristina Keiko Yamaguchi, Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC

Coordenadora Institucional do Stricto Sensu em Rede

Referências

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução a metodologia do trabalho científico. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

ARAUJO, José Carlos Souza. Fundamentos da metodologia de ensino ativa (1890-1931). 37ª Reunião Nacional da ANPEd – 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC – Florianópolis. 2015.Disponível em:< http://37reuniao.anped.org.br/wp-content/uploads/2015/02/Trabalho-GT02-4216.pdf>. Acesso em:19 mai. 2017.

BARBOSA, E. F. & MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.48-67, maio/ago. 2013.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Metodologia de projetos: Aprender e ensinar para a produção do conhecimento numa visão complexa. Coleção Agrinho. 2014. Disponivel: <http://www.agrinho.com.br/site/wp-content/uploads/2014/09/2_04_Metodologia-de-projetos.pdf> Acesso em: 26 mai. 2017.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40. 2011.

BORGES, T. S.; ALENCAR, G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, Salvador, v. 3, p. 119-143, 2014.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 9.ed, rev. e ampl. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. 2.ed Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DEBALD, B. S. A docência no ensino superior numa perspectiva construtivista. In: Seminário Nacional Estado e Políticas Sociais no Brasil, 2003, Cascavel. Anais eletrônicos… Cascavel: Unioeste, 2003. Disponível em: <http://cac-php.unioeste.br/projetos/gpps/midia/seminario1/trabalhos/Educacao/eixo5/97blasiussilvanodebald.pdf>. Acesso em: 7 jun. 2017.

FERNÁNDEZ-JIMÉNEZ, C.; LÓPEZ-JUSTICIA, D.; FERNÁNDEZ, M.; POLO, T. Aplicación del aprendizaje basado en problemas para la formación de alumnado de educación en la atención a la discapacidad. Profesorado, Revista de Currículum y Formación del Profesorado, v. 18, n. 2, p. 335-352. 2014.

FGV-EAESP. Tecnologia no ensino. Ensino Inovativo. Volume especial, 2015. Disponível em:<https://pt.scribd.com/document/307670730/FGV-Ensino-Inovativo-pdf> Acesso em:25 mai. 2017.

GEMIGNANI, E. Y. M. Y. Formação de Professores e Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem: Ensinar Para a Compreensão. Revista Fronteira das Educação, Recife, v. 1, n. 2, 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas. 2002.

LEAO, D.M. M. Paradigmas Contemporâneos de Educação: Escola Tradicional e Escola Construtivista. Cad. Pesqui. São Paulo, n. 107, p. 187-206, 1999 .

MOURA, D. G.; BARBOSA, E. F. Trabalhando com Projetos – Planejamento e Gestão de Projetos Educacionais. Petrópolis: Editora Vozes, 2006.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação do conhecimento na empresa: Como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 20 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

Paiva, M. R. F.; Parente, J. R. F.; Brandão, I. R.; Queiroz, A. H. B. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE - Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, p. 145-153. 2016.

REYES, E; GALVEZ, J. C. Introduction of innovations into the traditional teaching of construction and building materials. Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice, v. 137, n. 1, p 28-37. 2010.

ROBELDO, Patrícia; FIDALGO, Raquel; ARIAS Olga; ALVAREZ, Ma Lourdes. Students' perceptions of developing of competences through different innovative methodologies. Revista de Investigacion Educativa, v. 33, n. 2, p. 369-383. 2015.

SOUZA, C. da S.; IGLESIAS, A. G.; PAZIN FILHO, A. Estratégias inovadoras para métodos de ensino tradicionais – aspectos adicionais. Medicina (Ribeirão Preto. Online), v. 47, n. 3, p. 284-292, 2014.

TONET, H. C.; Paz, M. G. T. Um Modelo para o Compartilhamento de Conhecimento no Trabalho. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v.10, n. 2, p. 75-94. 2006.

TERRA, J. C. C. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial: uma abordagem baseada no aprendizado e na criatividade. São Paulo: Negócio Editora, 2001.

VERGARA, S. C.; ALVES, L. E. F. Compartilhamento do conhecimento nas organizações: possibilidades e limitações. Revista Psicologia: organizações e trabalho, v.9, n. 2, p. 47-59. 2009.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

DUMINELLI, M. V.; EZEQUIEL, K. B. de O.; YAMAGUCHI, C. K. PERSPECTIVAS DO COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO ENTRE OS DOCENTES PARA VIABILIZAR A METODOLOGIA ATIVA. Revista Visão: Gestão Organizacional, Caçador (SC), Brasil, v. 7, n. 2, p. 20-32, 2018. DOI: 10.33362/visao.v7i2.1331. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/visao/article/view/1331. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)