A LITERATURA COMO POSSIBILIDADE PARA A TRANSPOSIÇÃO DOS CONHECIMENTOS INSTITUCIONALIZADOS

LITERATURE AS A POSSIBILITY FOR THE TRANSPOSITION OF INSTITUTIONALIZED KNOWLEDGE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33362/professare.v11i3.3022

Palavras-chave:

Literatura, Formação humana, Educação Básica

Resumo

A literatura tem precioso valor para a formação humana, pois, além de cumprir uma função estética, favorece infinitas possibilidades de acesso a saberes da humanidade, de forma abrangente e não condicionada aos limites das diversas áreas do conhecimento. Partindo dessa compreensão, o presente trabalho tem como objetivo apresentar uma experiência desenvolvida em uma instituição de âmbito federal, com alunos do Ensino Fundamental. A experiência teve como base a leitura de obras literárias – uma narrativa produzida pela escritora brasileira Ana Maria Machado, outra que se constitui em uma coletânea de contos do escritor moçambicano Mia Couto. Como a leitura de tais obras resultou em pesquisas, nas quais os alunos assumiram a condição de sujeitos no processo, foram observadas formas relevantes de se acessar saberes relativos a diversas áreas, sem que se comprometesse a fruição estética das obras, com reducionismos dos conteúdos que elas apontam. O trabalho desenvolvido favoreceu refletir sobre o poder da literatura, no que diz respeito à transposição dos conhecimentos institucionalizados, isto é, circunscritos nas áreas das ciências e das metodologias educacionais, e em se tratando da humanização dos sujeitos envolvidos na leitura literária. Além disso, confirmou a relevância da fruição estética do texto literário, em um processo formativo amplo, indispensável em uma perspectiva de educação humanizadora, no qual o acesso a vários saberes da humanidade ocorre de modo transdisciplinar. Os referenciais teóricos utilizados na discussão aqui apresentada são estudos de Antoine Compagnon (2012), Antonio Candido (1989), Fanny Abramovich (1997) e Roland Barthes (2013).

Palavras-chave: Literatura. Formação humana. Educação Básica.

 

ABSTRACT

Literature has a precious value for human development, because, in addition to fulfilling an aesthetic function, it favors infinite possibilities of access to knowledge of humanity, in a comprehensive way and not conditioned to the limits of the different areas of knowledge. Based on this understanding, the present work aims to present an experience developed in a federal institution, with elementary school students. The experience was based on the reading of literary works – a narrative produced by the Brazilian writer Ana Maria Machado, and another that constitutes a collection of short stories by the Mozambican writer Mia Couto. As the reading of such literary works resulted in research, in which the students assumed the condition of subjects in the process, relevant ways of accessing knowledge related to different areas were observed, without compromising the aesthetic fruition of the works, with reductionism of the contents that they point. This work favored reflection on the power of literature, with regard to the transposition of institutionalized knowledge, that is, circumscribed in the areas of science and educational methodologies, and in terms of the humanization of the subjects involved in literary reading. In addition, it confirmed the relevance of the aesthetic fruition of the literary text, in a broad formative process, indispensable in a perspective of humanizing education, in which access to various knowledge of humanity occurs in a transdisciplinary way. The theoretical references used in the discussion presented here are the studies by Antoine Compagnon (2012), Antonio Candido (1989), Fanny Abramovich (1997) and Roland Barthes (2013).

Keywords: Literature. Human formation. Basic education.

Biografia do Autor

Ilma Socorro Gonçalves Vieira, Universidade Federal de Goiás

Doutorado em Letras (Estudos Literários). Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação, da Universidade Federal de Goiás.

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.

BARTHES, Roland. Aula: aula inaugural da Cadeira de Semiologia Literária do Colégio de França, pronunciada dia 7 de janeiro de 1977. São Paulo: Cultrix, 2013.

CANDIDO, Antonio. “Direitos humanos e literatura”. In.: FESTER, A. C. Ribeiro e otros (Org.). Direitos humanos e…. São Paulo: Brasiliense, 1989.

CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 5 ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2011.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê?. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

COUTO, Mia. A menina sem palavra: histórias de Mia Couto. São Paulo: Boa Companhia, 2013.

MACHADO, Ana Maria. Do outro lado tem segredos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

Downloads

Publicado

2022-12-22

Como Citar

Vieira, I. S. G. . (2022). A LITERATURA COMO POSSIBILIDADE PARA A TRANSPOSIÇÃO DOS CONHECIMENTOS INSTITUCIONALIZADOS: LITERATURE AS A POSSIBILITY FOR THE TRANSPOSITION OF INSTITUTIONALIZED KNOWLEDGE. Professare, 11(3), e3022-e3022. https://doi.org/10.33362/professare.v11i3.3022

Edição

Seção

ARTIGOS