PRÁTICAS RELACIONAIS, MECANISMOS DE GOVERNANÇA E CONFIANÇA EM UMA REDE DE COOPERAÇÃO

Autores

  • Cassiane Chais Universidade de Caxias do Sul
  • Alexandra Elvira Mazzochi Scopel Universidade de Caxias do Sul
  • Claralucia Prates Machado Unisinos
  • Daniel Hank Miri Universidade de Caxias do Sul
  • Paula Patricia Ganzer Faculdade CNEC Farroupilha
  • Juliana Matte Universidade de Caxias do Sul
  • Gabriel Sperandio Milan Faculdade CNEC Farroupilha
  • Pelayo Munhoz Olea Bolsista CNPq

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v8i2.2006

Palavras-chave:

Práticas Relacionais. Redes de Cooperação. Confiança. Governança.

Resumo

A concepção de redes abriu novas direções para as pesquisas que visam entender as diferenças de conduta e desempenho existentes entre as empresas. Assim, os novos tipos de arranjos organizacionais exigem formas de governança capazes de conciliar competição e cooperação, autonomia e interdependência para o desenvolvimento sinérgico das competências dos membros da rede. Agir coletivamente por meio das práticas relacionais, auxilia as empresas na redução dos custos em função da construção conjunta, tais como o compartilhamento de recursos físicos e desenvolvimento de mão-de-obra e Know-how. A pesquisa objetivou identificar a influência da prática relacional entre os associados e um fornecedor de uma rede de cooperação formada por restaurantes, sob a ótica da governança e confiança entre associados. O estudo abordou uma rede de cooperação composta por vinte empresas do setor de gastronomia da Serra Gaúcha. Adotou-se um método com abordagem qualitativa, objetivo exploratório e descritivo, como procedimento técnico utilizou-se o estudo de caso, e a técnica utilizada foi a análise de conteúdo. A obtenção dos dados se deu por meio da aplicação de um roteiro de entrevista semiestruturado, com três participantes da rede. Os principais resultados do estudo demonstraram que as práticas relacionais existentes configuram a geração de confiança e os mecanismos de governança geram segurança entre os associados e o fornecedor. A interligação dos aspectos citados colabora para a cooperação mútua e ganho na competitividade e no poder de barganha e negociação, gerando redução de custos nas transações.

Palavras-Chave: Práticas Relacionais. Redes de Cooperação. Confiança. Governança.

 

PRACTICAL RELATIONAL, GOVERNANCE MECHANISMS AND CONFIDENCE IN A COOPERATION NETWORK

Abstract: The design of networks opened new directions for research aimed at understanding the differences in behavior and performance existing between the companies. Thus, new types of organizational arrangements require forms of governance able to reconcile competition and cooperation, autonomy and interdependence for synergic development of skills of the network members. Act collectively through relational practices, helps companies reduce the cost function in the joint construction, such as the sharing of physical resources and development of skilled labor and know-how. From the research aimed to identify the influence of relational practice between the partners and a supplier of a cooperation network formed by restaurants from the perspective of governance and trust among associates. The study addressed a cooperation network consisting of twenty companies from the gastronomic sector saw. For the construction of the study, we adopted the method with a qualitative approach with exploratory and descriptive purpose, the technical procedure use was the case study, and the technique used was content analysis. Data collection was through participant observation, application of an interview script with three participants investigated network. The main results of the study showed that the existing related practices constitute the generation of trust and governance mechanisms generate security among the members and the supplier. The interconnection between the aforementioned aspects contributes to mutual cooperation and gain competitiveness and bargaining power and negotiation, generating cost savings in transactions.

Keywords: Relational Practices. Cooperation Networks. Trust. Governance.

Biografia do Autor

Cassiane Chais, Universidade de Caxias do Sul

FORMAÇÃO: Doutora em Administração na Universidade de Caxias do Sul com Bolsa PROSUC/CAPES (2019). Doutorado com período sanduíche no Tecnológico de Monterrey em Monterrey no México, como bolsista PDSE/CAPES (Ago/2017 à Nov/2017). Mestre em Administração pela Universidade de Caxias do Sul com Bolsa TAXA/CAPES, linha de pesquisa: Inovação e competitividade (2014). Especialista em Gestão Secretarial pela Universidade de Passo Fundo (2009). Possui graduação em Secretariado Executivo pela Universidade de Passo Fundo, com bolsa PROUNI (2008). Pre Intermediate English pela Malvern House-Londres-Inglaterra (2010). PRODUÇÃO CIENTÍFICA: 35 artigos publicados em periódicos (ou revistas nacionais e internacionais). 89 artigos publicados em anais de eventos, 12 capítulos de livros publicados e 7 livros organizados. ORIENTAÇÕES CONCLUÍDAS: 25 orientações de graduação, 39 de iniciação científica, 2 de especialização. PARTICIPAÇÃO EM BANCAS: 16 participações em bancas de graduação. 1 Participação em bancas de especialização. OUTRAS INFORMAÇÕES: Associada à AANERGS - Associação dos Administradores da Região Nordeste do Rio Grande do Sul. ATUAÇÃO ACADÊMICA: Atua como líder acadêmica no Grupo de Pesquisa NIES - Núcleo de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Caxias do Sul. Integra a equipe de pesquisadores dos projetos: Gestão do Conhecimento e Inovatividade como Impulsionadores da Inovação de Produto no Setor Têxtil Brasileiro e Português, contemplado na Chamada MCTIC/CNPq Nº 28/2018 Universal/Faixa C e Universidades Empreendedoras e Sustentabilidade Econômica a partir dos Ambientes de Inovação UESAI, contemplado na Chamada CNPq Nº 12/2017 Bolsas de Produtividade em Pesquisa PQ. Possui 83 avaliações de artigos científicos em periódicos nacionais e eventos nacionais e internacionais. 5 avaliações de projetos de pesquisa e extensão. Experiência nas áreas de empreendedorismo e inovação. ATUAÇÃO PROFISSIONAL: Atuou na área de captação de recursos para inovação no Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade de Passo Fundo (2011 à 2014).

Alexandra Elvira Mazzochi Scopel, Universidade de Caxias do Sul

Mestre em Administração pela Universidade de Caxias do Sul, linha de pesquisa: gestão da inovação e competitividade.Graduação em Comunicação Social - Habilitação Relações Públicas pela Universidade de Caxias do Sul. Docente na Graduação e Pós Graduação. Experiência com ênfase em: estratégias corporativa, pesquisa e gestão mercadológica ( imagem e preço), relacionamento com o mercado e desenvolvimento de novos produtos e serviços. Interesse de pesquisa: imagem de preço, estratégias de preço e capacidade de precificação.

Claralucia Prates Machado, Unisinos

Doutoranda em Engenharia de Produção e Sistemas na UNISINOS, Doctoral Training pela International Foundation for Production Research- IFPR em Poznan University of Technology - PUT - Polonia, Mestre em Administração, área de concentração: Administração da Produção, Tecnologia e Inovação pela UCS, especialista em Ciência do Consumo pela ESPM, especialista em Marketing de Varejo e Gestão de Produtos e Marcas pela FGV, graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela UNISINOS. É profissional voltada para o planejamento organizacional e estratégico, tendo atuado junto a empresas como Riocell, Varig, Medabil, Pólo Moveleiro de São Bento do Sul (SC), Dry Port (São Paulo/Guarulhos), Plastmóveis (Londrina/Pr), Rede Unisuper de Supermercados (RS), Certaja, Treviso, Codebal Supermercados,Rede de Postos Apolo, bem como na docência de diversos cursos e treinamentos in company. Professora e Coordenadora dos cursos da EMAPI/UNISINOS - Escola de Marketing de Alta Performance e Inovação. Coordenadora de Projeto de Pesquisa Vale do Paranhana Resiliente. Revisora de periódicos da Systemic Practice and Action Research - SPAR/Springer. Fundadora do Dressage Team RS e coordenadora dos cursos à distância Dressage Team RS.

Daniel Hank Miri, Universidade de Caxias do Sul

Possui graduação em Administração pela Universidade de Caxias do Sul (2017) e formação no curso superior de curta duração em Gestão de Pessoas pela Universidade de Caxias do Sul (2010). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração de Setores Específicos como produção, materiais e principalmente recursos humanos. Atuou em empresas dos segmentos moveleiro, metalúrgico e postos de serviços. Atualmente é bolsista PROSUC/CAPES no curso de Mestrado em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Caxias do Sul, na linha de Inovação e Competitividade 

Paula Patricia Ganzer, Faculdade CNEC Farroupilha

Pós-Doutora em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração na Universidade de Caxias do Sul, UCS, Brasil. Doutorado em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil e pela Universidade de Caxias do Sul, UCS, Brasil (2017). Mestrado em Administração pela Universidade de Caxias do Sul, UCS, Brasil (2013). Graduação em Administração pelo Centro de Ensino Superior Cenecista de Farroupilha, CESF, Brasil (2010). Atuou como Bolsista de Iniciação Científica Voluntária junto ao Programa de Pós-Graduação em Administração, PPGA/UCS, no Projeto de Pesquisa Caracterização e Análise das Inovações no Setor da Saúde de Caxias do Sul (2010). Atuou como professora convidada no MBA em Inteligência de Mercado na FSG Centro Universitário da Serra Gaúcha (2017). PRODUÇÃO CIENTÍFICA: 70 artigos publicados em periódicos (ou revistas nacionais e internacionais). 109 artigos publicados em anais de eventos e 18 capítulos de livros publicados. PARTICIPAÇÃO EM BANCAS: 71 participações em Bancas, sendo: 64 em Graduação, 07 de Mestrado, 01 de Doutorado. OUTRAS INFORMAÇÕES: Associada ao CRA RS - Conselho Regional de Administração do Estado do Rio Grande do Sul, à AANERGS - Associação dos Administradores da Região Nordeste do Rio Grande do Sul. ATUAÇÃO ACADÊMICA: Autora de artigos publicados em revistas nacionais e internacionais, capítulos de livros, artigos publicados em eventos científicos, no Brasil e no exterior nas áreas de Inovação e Empreendedorismo. Atua no Grupo de Pesquisa NIES - Núcleo de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Caxias do Sul. Avaliadora de artigos científicos em periódicos nacionais e eventos nacionais e internacionais. ATUAÇÃO PROFISSIONAL: Coordenadora dos Cursos de Graduação em Administração, Tecnologia em Processos Gerenciais e Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos na Faculdade CNEC Farroupilha, Coordenadora Acadêmica da Empresa Júnior. Atua nas áreas de Empreendedorismo, Inovação, Gestão do Conhecimento e Inovatividade Organizacional em diversos setores econômicos com destaque no setor têxtil.

Juliana Matte, Universidade de Caxias do Sul

Doutoranda em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA da Universidade de Caxias do Sul - UCS com bolsa FAPERGS/CAPES. Mestre em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA da Universidade de Caxias do Sul - UCS. MBA em Gestão Comercial pela Fundação Getúlio Vargas - FGV. Graduada em Administração com ênfase em Marketing pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Integrante do Grupo de Pesquisa Núcleo de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade - NIES. Tem experiência na gestão estratégica no varejo. Tem experiência no setor bancário. Tem interesse na docência para os cursos de Administração e Marketing.

Gabriel Sperandio Milan, Faculdade CNEC Farroupilha

FORMAÇÃO: Pós-Doutor em Administração na área de Marketing pela UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016). Doutor em Engenharia de Produção na área de Sistemas de Qualidade pela UFRGS (2006). Mestre em Engenharia de Produção na área de Qualidade e Gerência de Serviços pela UFRGS (2000). Especialista em Planejamento Econômico: Gestão Econômica da Empresa pela UCS - Universidade de Caxias do Sul (1998). Especialista em Administração de Marketing pela UCS (1996). Bacharel em Administração de Empresas pela UCS (1994). ATUAÇÃO ACADÊMICA: Bolsista de Produtividade em Pesquisa pelo CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Coordenador do GPEM - Grupo de Pesquisa em Estratégia e Mercado (cadastrado junto ao CNPq). Avaliador para Agências de Fomento (CAPES, CNPq e FAPERGS). Professor e pesquisador no CESF - Centro de Ensino Superior Cenecista de Farroupilha (atual Faculdade CNEC Farroupilha). PRODUÇÃO CIENTÍFICA: 187 artigos publicados em periódicos (ou revistas nacionais e internacionais). 170 artigos completos, 10 resumos expandidos e 15 resumos publicados em anais de congressos. 05 livros organizados e 28 capítulos de livros publicados. ORIENTAÇÕES CONCLUÍDAS: 923 orientações concluídas, sendo: 01 de Apoio Técnico em nível superior (AP-NS), 25 de Iniciação Científica, 326 de Graduação, 530 de Pós-Graduação Lato Sensu (Especializações e MBAs), 21 de Mestrado, 06 de Doutorado, 02 de Pós-Doutorado Voluntário e 12 de Estágio Docência. PARTICIPAÇÃO EM BANCAS: 323 participações em Bancas, sendo: 243 em Graduação, 22 em Qualificações de Mestrado, 47 de Mestrado, 07 Qualificações de Doutorado e 04 de Doutorado. OUTRAS INFORMAÇÕES: Associado ao CRA RS - Conselho Regional de Administração do Estado do Rio Grande do Sul, à AANERGS - Associação dos Administradores da Região Nordeste do Rio Grande do Sul e à ANPAD - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Diretor de Conteúdo e Membro do Comitê de Estudos em Estratégia e Mercado da AANERGS. Membro titular do COMDEMA - Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Caxias do Sul - RS). Membro da Comissão de Regularização Fundiária (Caxias do Sul - RS). Ex-Editor Científico (de 12/2017 a 10/2018) e Ex-Editor Chefe (de 10/2018 a 12/2018) da RBGI - Revista Brasileira de Gestão e Inovação. Experiência na área de Administração, com ênfase em Estratégia Corporativa, Estratégias de Marketing, Marketing de Relacionamento, Retenção e Lealdade de Clientes e Comportamento do Consumidor. Publicações internacionais em periódicos como, por exemplo: Journal of Relationship Marketing, Journal of Marketing Communications, Journal of Retailing and Consumer Services, Benchmarking: An International Journal, Environmental Quality Management e International Journal of Quality and Service Sciences. ATUAÇÃO NO MERCADO PROFISSIONAL: Diretor Presidente do SAMAE - Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Caxias do Sul (RS). Consultor de empresas nas áreas de estratégia e mercado há mais de 20 anos. PRINCIPAIS PRÊMIOS: Ganhador dos Prêmios Mérito em Administração no Setor de Ensino, em 2010, concedido pelo CRA RS, e Pesquisador Gaúcho, em 2013, concedido pela FAPERGS. CRA RS: 32.661

Pelayo Munhoz Olea, Bolsista CNPq

Pós-Doutorado em Gestão Ambiental pela Universidad de Extremadura, UEX, Espanha, Bolsista do Programa de Intercâmbio de Formação de Investigadores entre a União Européia e a América Latina, Programa ALFA2 (América Latina Formación Académica) da Rede Jean Mermoz/ESPAÑA. Doutorado em Administração e Direção de Empresas pela Universitat Politècnica de Catalunya, ETSEIB/UPC, Espanha, Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES/BRASIL. Mestrado em Engenharia de Fabricação de Papel pela Universitat Politècnica de Catalunya, ETSEIAT/UPC, Espanha, Bolsista do Instituto de Cooperación Iberoamericana, ICI/AECI/ESPAÑA. Graduação em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS e Graduação em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS.

Referências

AGUSTIN, C. SINGH, J. Curvilinear effects as consumer loyalty determinants in relational exchanges. Journal of Marketing Research, v. 42, n.1, p.96-108, Feb. 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BALESTRIN, A. ; VERSCHOORE, J. ; PERUCIA, A. Visão Relacional no Campo da Estratégia: Evidências Empíricas a partir das Ações Coletivas de Redes Interorganizacionais. In: ANPAD - V Encontro de Estudos em Estratégia, 2011, Porto Alegre. Anais. ANPAD, 2011.

BENÍTEZ-ÁVILA, C. et al. Interplay of relational and contractual governance in public-private partnerships: The mediating role of relational norms, trust and partners' contribution. International journal of project management, v. 36, n. 3, p. 429-443, 2018.

BRASS, D.; GALASKIEWICZ, J.; GREVE, H.; TSAI, W. Taking stock of networks and organizations: a multilevel perspective. Academy of Management Journal, v. 47, n. 6, p. 795-817, 2004.

CARTER, G. G.; SCHINO, G.; FARINE, D. Challenges in assessing the roles of nepotism and reciprocity in cooperation networks. Animal Behaviour, 2019.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CHO, M.; BONN, M. A.; TERRELL, B. B. Interaction effects between contract specificity, competence trust and goodwill trust upon supplier opportunism and relational stability: A focus upon restaurant performance. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 2019.

CZERNEK-MARSZAŁEK, K. Applying mixed methods in social network research–The case of cooperation in a Polish tourist destination. Journal of destination marketing & management, v. 11, p. 40-52, 2019.

DE JESUS, I. C. et al. Dyadic relationships of trust and knowledge sharing in cooperation networks between micro and small enterprises for innovation. In: ICSB World Conference Proceedings. International Council for Small Business (ICSB), 2017. p. 1-9.

DE PAULO, A. F.; RIBEIRO, E. M. S.; PORTO, G. S. Mapping countries cooperation networks in photovoltaic technology development based on patent analysis. Scientometrics, v. 117, n. 2, p. 667-686, 2018.

D'OLIVEIRA, J. L. P. et al. Business Cooperation Networks: Risks and Benefits. International Journal of e-Education, e-Business, e-Management and e-Learning, v. 6, n. 2, p. 120, 2016.

EGAN, J. Back to the Future: Divergence in Relationship Marketing Research, Marketing Theory, vol.3, n. 1, p. 145-157, 2003.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOMBRUN, C. J. Strategies for network research in organizations. Academy of Management Review, v.7, p. 280-291, 1997.

FOSS, N. J.; KLEIN, P. G. Organization Governance. 2007. Disponível em: http://ssrn.com/abstract=1026897. Acesso em: 22 jun. 2015.

GALVÃO, A. et al. The role of start-up incubators in cooperation networks from the perspective of resource dependence and interlocking directorates. Management Decision, 2019.

GAUSDAL, A. H.; SVARE, H.; MÖLLERING, G. Why don’t all high-trust networks achieve strong network benefits? A case-based exploration of cooperation in Norwegian SME networks. Journal of Trust Research, v. 6, n. 2, p. 194-212, 2016.

HOETKER; G.; MELLEWIGTH, T. Matching alliance governance to alliance content. In: ARIÑO, A.; REUER, J. J. Strategic alliance: governance and contracts. Palgrave: Macmillan, p. 148-158, 2006.

HOSKISSON et al. Estratégia competitiva. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

LEON, M. E. Uma Análise de Redes de Cooperação das Pequenas e Médias Empresas do Setor das Telecomunicações. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Dez., 1998.

MELAMED, D.; HARRELL, A.; SIMPSON, B. Cooperation, clustering, and assortative mixing in dynamic networks. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 115, n. 5, p. 951-956, 2018.

MALHOTRA, N. K., Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada, 4. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MAYER, R. C.; DAVIS, J. H.; SCHOORMAN, F. D. An integrative model of organizational trust. Academy of Management Review, v. 20, n. 3, p. 709-734, 1995.

NISHINO, N.; OKAZAKI, M.; AKAI, K. Effects of ability difference and strategy imitation on cooperation network formation: A study with game theoretic modeling and multi-agent simulation. Technological Forecasting and Social Change, v. 136, p. 145-156, 2018.

OKHMATOVSKIY, I.; SHIN, D. Changing Corporate Governance in Response to Negative Media Reports. British Journal of Management, v. 30, n. 1, p. 169-187, 2019.

PERIS-ORTIZ, M.; FERREIRA, J. J. Cooperation and networks in small business strategy: An Overview. In: Cooperative and Networking Strategies in Small Business. Springer, Cham, 2017. p. 1-9.

PROVAN, K.; KENIS, P. Modes of network governance: structure, management and effectiveness. Journal of Public Administration Research and Theory, Oxford, UK, v.18, n.2, p. 229-252, 2008.

ROTH, A. L. et al. Diferenças e inter-relações dos conceitos de governança e gestão de redes horizontais de empresas: contribuições para o campo de estudos. R.Adm., São Paulo, v.47, n.1, p.112-123, jan./fev./mar. 2012.

SOBRINHO, F. G. et al. A Needs Engineering Methodology for Identification and Modeling Process Semantics for Cooperation Networks. In: 2016 IEEE Tenth International Conference on Semantic Computing (ICSC). IEEE, 2016. p. 404-409.

SOUZA, A. C.; RIBEIRO, C. M.; PRADO, P. H. M. Um estudo sobre os Relacionamentos Organizacionais do Tipo buyer-seller entre Operadoras de Planos de Saúde e Prestadores de Serviços em Saúde. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO - ENANPAD, 32, 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Anpad, 2008.

SUN, J.; REN, X.; ANUMBA, C. J. Analysis of Knowledge-Transfer Mechanisms in Construction Project Cooperation Networks. Journal of Management in Engineering, v. 35, n. 2, p. 04018061, 2018.

THEURL, T. From corporate to cooperative governance. In: THEURL, T. Economics of interfirm networks. Tübingen: Mohr Siebeck, p.149-192, 2005.

THOMPSON, G. F. Between hierarchies and markets: the logics and limits of network forms of organization. Oxford: Oxford University Press, 2003.

TOVEDA, E. Business networks. Strategy and structure. London: Routledge, 2006.

______. Strategic allances. International Encyclopedia of Organization Studies, 2007. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=1460867. Acesso em: 23 jun. 2015.

VERSCHOORE, J.; BALESTRIN, A. Ganhos Competitivos das Empresas em Redes de Cooperação. R.Adm. Eletrônica, São Paulo, v.1, n.1, art.2, jan./jun. 2008.

VERSCHOORE, J.; BALESTRIN, A.; TEIXEIRA, R. Network management and associated firms’ outcomes: multilevel analysis in the Southern Brazilian context. Journal of Management & Governance, v. 21, n. 1, p. 211-232, 2017.

XIE, E.; LIANG, J.; ZHOU, K. Z. How to enhance supplier performance in China: An integrative view of partner selection and partner control. Industrial Marketing Management, v. 56, p. 156-166, 2016.

WANG, L. et al. The contingent effects of asset specificity, contract specificity, and trust on offshore relationship performance. Journal of Business Research, v. 99, p. 338-349, 2019.

Downloads

Publicado

2019-10-08

Como Citar

CHAIS, C.; MAZZOCHI SCOPEL, A. E.; PRATES MACHADO, C.; HANK MIRI, D.; GANZER, P. P.; MATTE, J.; SPERANDIO MILAN, G.; MUNHOZ OLEA, P. PRÁTICAS RELACIONAIS, MECANISMOS DE GOVERNANÇA E CONFIANÇA EM UMA REDE DE COOPERAÇÃO. Revista Visão: Gestão Organizacional, Caçador (SC), Brasil, v. 8, n. 2, p. 46-61, 2019. DOI: 10.33362/visao.v8i2.2006. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/visao/article/view/2006. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)