A SUSTENTABILIDADE SOCIAL, O PRINCÍPIO DA UNIVERSALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E A JUDICIALIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS

SOCIAL SUSTAINABILITY, THE UNIVERSAL HEALTH COVERAGE PRINCIPLE OF THE BRAZILIAN PUBLIC HEALTH SYSTEM AND THE JUDICIALIZATION OF MEDICINES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v11i1.2659

Palavras-chave:

Sustentabilidade social. Direito à saúde. Judicialização

Resumo

Este artigo faz uma relação entre a sustentabilidade social, o princípio da universalidade do Sistema Único de Saúde (SUS) e a judicialização de medicamentos. O direito à saúde, tratado como um direito social, que visa garantir o bem-estar físico, mental e social de toda uma população, enquadra-se na dimensão social da sustentabilidade. O princípio da universalidade, tratado inclusive pela Organização Mundial da Saúde (OMS), “propõe que sistemas de saúde priorizem serviços que ofereçam grandes ganhos em saúde a custo baixo e com evidência científica robusta de segurança e efetividade, ainda que isso implique não financiar tratamentos pouco custo-efetivos ou de natureza experimental”. Respeitando o princípio da universalidade a Constituição Federal estabelece que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado, desde que os tratamentos de saúde oferecidos pelo SUS estejam previstos em políticas públicas de saúde. A concessão judicial de tratamentos de saúde não previstos nestas políticas públicas, desrespeita a noção de sustentabilidade social do direito à saúde uma vez que, ao usar o orçamento da saúde que deveria abranger o maior número possível de pessoas, aloca tais recursos para situações individuais, deixando a parcela mais vulnerável da população sob o risco de não ter seus direitos respeitados.

Palavras-Chave: Sustentabilidade social. Direito à saúde. Judicialização.

 

Abstract: This article relates the social sustainability concept with the universal health coverage principle of the Brazilian Public Health System and the judicialization of medicines. The right to health, seen as a fundamental social right, which ensures physical, mental and social well-being of the whole population, is placed in the social sustainability concept. The universal health coverage principle, analyzed by the World Health Organization, proposes that health systems coverage should offer the greatest total improvement in health at lower budget and considerer solid scientific effectiveness and security, even if this implies not financing treatments with low cost-benefit or experimental. Regarding the universal health coverage principle, the Brazilian Constitution establishes that the right to health should cover everyone and should be provided by the State, but this coverage should be limited by the public health policies. When justice provides to someone a medicine that is not included in these public health policies, it disrespects the social sustainability concept of the right to health, since it uses the public budget that should benefit as many people as possible, toward one only person, leaving the vulnerable population under the risk of not having its rights respected.

Keywords: Social sustainability. Right to health. Judicialization.

Biografia do Autor

CLÓVIS DEMARCHI, Universidade do Vale do Itajaí

Doutor em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí. Doutorado sanduiche com a Universidade do Minho, Braga, Portugal com Bolsa Capes. Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí. Professor titular da Universidade do Vale do Itajaí nos cursos de graduação, especialização e no Programa de Pós-Graduação strictu sensu em Ciência Jurídica.

FLÁVIA DREHER DE ARAUJO, UNIVALI

Mestranda em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí. Especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Federal do Estado de Santa Catarina e em Advocacia Pública pela AVM Faculdade Integrada. Procuradora do Estado de Santa Catarina.

Referências

BARBOZA, Nilton Anderson Santos; RÊGO, Tatiane Dias de Moraes; BARROS, Thayane de Moraes Rêgo Ribeiro Pinto. A história do SUS no Brasil e a política de saúde. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 11, nov. 2020. DOI:10.34117/bjdv6n11-057.

BARROSO, Luís Roberto. Judicialização, ativismo judicial e legitimidade democrática. Suffragium - Revista do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, Fortaleza, v. 5, n. 8, p. 11-22, jan./dez. 2009. Disponível em https://bibliotecadigital.tse.jus.br/xmlui/handle/bdtse/5498

BODNAR, Zenildo; CRUZ, Paulo Márcio. O acesso à justiça e as dimensões materiais da efetividade da jurisdição ambiental. In: GARCIA, Denise Schmitt Siqueira; SOUZA, Maria Cláudia da Silva Antunes (Orgs). Direito ambiental, transnacionalidade e sustentabilidade. Itajaí, Univali, 2013.

BOFF, Leonardo. Sustentabilidade: o que é – o que não é. Edição digital para Kindle. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal, 2020.

BRASIL, Decreto n. 7508, de 28 de junho de 2011. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7508.htm.

BRASIL, Lei Federal 8.080, de 19 de setembro de 1990. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htmm.

BRASIL, Lei nº 12.401, de 28 de abril de 2011, disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12401.htm.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 3916 de 30 de outubro de 1998. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis.

CARDOSO, Daniel. Judicialização da saúde: solução ou parte do problema? Londrina, PR: Thoth, 2020.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. Belo Horizonte: Forum, 2012.

HARDIN, Garrett. The tragedy of the commons. Disponível em: https://science.sciencemag.org/content/162/3859/1243.

LIEBL, Helena; DEMARCHI, Clóvis. A efetividade da dignidade da pessoa humana através dos direitos sociais. Revista da ESMESC, Florianópolis, v.25, n.31, p. 85-106, 2018. Disponível em: https://revista.esmesc.org.br/re/article/view/185/159

LIMA, Tatiana Coral Mendes de. O orçamento público como instrumento de efetivação das políticas públicas e garantia da sustentabilidade. Belo Horizonte: Editora Dialética, 2021.

ONU, Desenvolvimento sustentável. Disponível em https://sustainabledevelopment.un.org/focussdgs.html.

ONU, Nosso futuro comum. Disponível em http://www.ecobrasil.eco.br/site_content/30-categoria-conceitos/1003-nosso-futuro-comum-relatorio-brundtland.

PAIM, Jairnilson Silva; SILVA, Lígia Maria Vieira da. Universalidade, integralidade, equidade e SUS. BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.), São Paulo, v. 12, n. 2, ago. 2010 . Disponível em <http://periodicos.ses.sp.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-18122010000200002&lng=pt&nrm=iso.

RUMBOLD, Benedict; BAKER, Rachel; FERRAZ, Octavio; HAWKES, Sarah; KRUBINER, Carleigh; LITTLEJOHNS, Petter; NORHEIM, Ole F; PEGRAM, Thomas; RID, Annette; VENKATAPURAM, Sridhar; VOORHOEVE, Alex; WANG, Daniel; WEALE, Albert; WILSON, James; YAMIN, Alicia Ely, HUNT, Paul. Universal health coverage, priority setting, and the human right to health. Lancet. 2017 Aug 12; 390(10095): 712–714. Published online 2017 Apr 26. doi: 10.1016/S0140-6736(17)30931-5 Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6728156/.

SANTOS, Lenir; ANDRADE, Luiz Odorico Monteiro de. O SUS após a regulamentação da Lei 8.080/90 pelo Decreto 7.508/2011. Disponível em: http://idisa.org.br/site/documento_5682_0__o-sus-apos-a-regulamentacao-da-lei-8.080-90-pelo-decreto-7.508-2011.html.

VAHL, Queila de Araújo Duarte; GRUENFELD, Valéria Rocha Lacerda. O sistema único de saúde e a tragédia dos bens comuns. Empório do Direito. Disponível em: https://emporiododireito.com.br/leitura/o-sistema-unico-de-saude-e-a-tragedia-dos-bens-comuns.

VEIGA, José Eli. Saúde e sustentabilidade. Estudos Avançados 34 (99), Instituto de Estudos Avançados, Universidade de São Paulo: 2020. doi: 10.1590/s0103-4014.2020.3499.018.

WANG, Daniel Wei Liang. Direito e políticas de saúde: reflexões para o debate público. Belo Horizonte, MG: Casa do Direito, 2020.

Downloads

Publicado

2022-02-25

Como Citar

DEMARCHI, C.; DREHER DE ARAUJO, F. A SUSTENTABILIDADE SOCIAL, O PRINCÍPIO DA UNIVERSALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E A JUDICIALIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS: SOCIAL SUSTAINABILITY, THE UNIVERSAL HEALTH COVERAGE PRINCIPLE OF THE BRAZILIAN PUBLIC HEALTH SYSTEM AND THE JUDICIALIZATION OF MEDICINES. Revista Visão: Gestão Organizacional, Caçador (SC), Brasil, v. 11, n. 1, p. 36-49, 2022. DOI: 10.33362/visao.v11i1.2659. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/visao/article/view/2659. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos