PRESENÇA DE ACADÊMICAS EM CURSOS PREDOMINANTEMENTE MASCULINOS EM UMA UNIVERSIDADE CATARINENSE

Autores

  • Juciele Marta Baldissarelli Universidade Alto Vale do Rio do Peixe
  • Aline Henke Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP
  • Levi Hulse Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP
  • Leonardo Passarin Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

DOI:

https://doi.org/10.33362/visao.v9i1.2310

Palavras-chave:

Ciências sociais aplicadas, Ciências contábeis, Administração, Profissões, Mulheres, Preconceito

Resumo

A pesquisa teve por objetivo verificar qual é a percepção das acadêmicas de cursos predominantemente masculinos de uma Universidade situada no estado de Santa Catarina, em relação as diferenças entre gêneros e oportunidades no mercado de trabalho. Ao par da problemática de pesquisa, investigou-se a realidade de alguns cursos de graduação, sendo eles: Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Agronomia, Sistemas de Informação, Engenharia Civil e Engenharia de Controle e Automação, que são predominantemente masculinos. Para isso, aplicou-se uma pesquisa qualitativa e quantitativa, em que 46 acadêmicas mulheres responderam. Ao final, constatou-se que as acadêmicas dos cursos investigados, consideram que enfrentam preconceito relacionado ao mercado de trabalho. Já em relação ao ambiente acadêmico, a existência da diferenciação entre gêneros por parte de docentes ou colegas homens, é praticamente inexistente.

Palavras-Chave: Profissões. Mulheres. Preconceito.

 

PRESENCE OF ACADEMICS IN PREDOMINANT MALE COURSES AT A CATARINIAN UNIVERSITY

Abstract: The research aimed to verify what is the perception of the students of predominantly male courses at a University located in the state of Santa Catarina, in relation to the differences between genders and opportunities in the job market. Along with the research problem, the reality of some undergraduate courses was investigated, namely: Mechanical Engineering, Electrical Engineering, Agronomy, Information Systems, Civil Engineering and Control and Automation Engineering, which are predominantly male. To this end, a qualitative and quantitative research was applied, in which 46 female academics responded. At the end, it was found that the academics of the investigated courses, consider that they face prejudice related to the job market. In relation to the academic environment, the existence of gender differentiation by male teachers or colleagues is practically non-existent.

Keywords: Professions. Women. Preconception.

Biografia do Autor

Juciele Marta Baldissarelli, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

Doutoranda em Contabilidade e Administração pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), Mestre em Desenvolvimento e Sociedade pela Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), formada em Comunicação Social - Licenciatura em Jornalismo. Professora da UNIARP. A pesquisadora agradece ao sistema de bolsas UNIEDU de Santa Catarina e ao FAP da UNIARP. E-mail: jucielemarta_baldissarelli@hotmail.com

Aline Henke, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Acadêmica do curso de administração da UNIARP. A pesquisadora agradece a bolsa FAP.

Levi Hulse, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Doutor e Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí- UNIVALI - SC, na área de concentração em Constitucionalismo, Transnacionalidade e Produção do Direito. Bacharel em Direito pela Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB (2010) e graduado em História pela Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB (2006). Advogado com a OAB/SC 31.986. Docente  e  pesquisador  dos  Programas  de  Pós-Graduação  em  Desenvolvimento  e  Sociedade  e Profissional    em   Educação    da    Universidade    Alto   Vale    do    Rio   do    Peixe – UNIARP. E-mail: levi@uniarp.edu.br

Leonardo Passarin, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Administrador. Mestrando em Desenvolvimento e Sociedade da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP). E-mail: leonardo.passarin@gmail.com

Referências

BELTRÃO, Kaizô Iwakami; ALVES, José Eustáquio Diniz. A reversão do Hiato de Gênero na educação brasileira no século XX. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 136, p. 125-156, jan./abr. 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2017.

BEZERRA, Nathalia. Mulher e Universidade: a longa e difícil luta contra a invisibilidade. Conferência Internacional sobre os Sete Saberes, 2010, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UECE, 2010. p. 1-8. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

BOBBIO, Norberto.; MATTEUCCI, Nicola e PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Trad. Carmen C. Varrialle, Gaetano Loiai Mônaco, João Ferreira, Luis Guerreiro Pinto Cacais, Renzo Dini. Brasilia: UNB, LGE, 2004. 12. ed.

BORTOLINI, M. C. "Breve visão sobre a gênese e a evolução das populações latino-americanas". Genética para que te quero? Porto Alegre, Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1999, pp. 57-61.

DUBET, François. As desigualdades multiplicadas. Rev. Bras. Educ. [online]. 2001, n.17, pp.5-18. ISSN 1413-2478.

GODOY, Arlida Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

LOURO, Guacira Lopes. Uma leitura da história da educação sob a perspectiva de gênero. In: Projeto Hidtória, 11. São Paulo: EDU/PUC-SP, 1994, P.31-46.

KÉRGOAT, Daniele. “La division de travail entre les sexes” In Kergoat, J. et al (orgs) Le monde du travail Paris, La découverte 1998, pp.319327.

SANTOS, Cristiane Aparecida Baggi dos; LOPES, Doraci Alves. Evasão e avaliação institucional no ensino superior: uma discussão bibliográfica. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, v. 16, n. 2, 2011

SILVEIRA, Denise Tolfo; CÓRDOVA, Fernanda Peixoto. Unidade 2–A pesquisa científica. Métodos de pesquisa, v. 1, 2009.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In: Educação e Realidade: gênero e educação. Porto Alegre. v. 20, n. 2, jul/dez, 1995.

SOUZA, Regis Glauciane Santos de; SARDENBERG, Cecília Maria B. Visibilizando a mulher no espaço público: a presença das mulheres nas universidades. Seminário Internacional Fazendo Gênero, 10., 2013. Anais... Florianópolis: UFSC, 2013. p. 1-13. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2017.

TEDESCHI, Losandro Antonio. História das mulheres e as representações do feminino. 144 p. Campinas: Curt Nimuendajú, 2008.

Downloads

Publicado

2020-07-26

Edição

Seção

Artigos